segunda-feira, 1 de outubro de 2007

O MEU AMOR

Chico Buarque: A genialidade de um mestre da música.

O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
E que me deixa louca
Quando me Beja na boca
A minha pele toda fica arrepiada
E me beija com calma e fundo
Até minh’alma se sentir beijada

O meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
Que rouba os meus sentidos
Viola os meus ouvidos
Com tantos segredos
Lindos e indecentes
Depois brinca comigo
Ri do meu umbigo
E me crava os dentes

Eu sou sua menina viu?
E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha
Do bem que ele me faz

Meu amor
Tem um jeito manso que é só seu
De me deixar maluca
Quando me roça a nuca
E quase me machuca
Com a barba malfeita
E de poupar as coxas
Quando ele se deita

O meu amor
Tem um jeito manso é só seu
De me fazer rodeios
De me beijar os seios
Me beijar o ventre
E me deixar em brasa
Desfruta do meu corpo
Como se o meu corpo
(fosse a sua casa)

Eu sou a sua menina viu?
E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha
Do bem que ele me faz

4 comentários:

Ant disse...

"Meu corpo é testemunha
Do bem que ele me faz"
Bem... a pila do gajo estava meio mole (ou inteiramente mole...). Por isso é que falas na alma vs corpo e tal...
;))
interessante este espaço, muito interessante.
de vez em quando vou deiixar-me provocar...

devem-se divertir à grande e isso é que é suposto

abraços

carpe vitam! disse...

QJ: Lindo! Obrigado :-)

ANT: Temos provocador! Assim é que eu gosto!

joana disse...

Ouçam a versão dessa Música da Cristina Branco, contida no album Sensus e depois digam-me quem é que provoca...

carpe vitam! disse...

Joana, obrigada por nos dares a conhecer a Cristina Branco, é um som calmo que não deixa de ser provocante. No entanto, para nós a ópera é a ópera, com o seu ritmo próprio. A música cantada a duas vozes, ainda por cima duas vozes como as de Elba Ramalho e Cláudia Ohana tem outro sentido, é quase insuperável!