sexta-feira, 29 de janeiro de 2016



O mote é uma conversa com uma amiga, que me trás à memória algumas considerações sobre tomar banho.


Todos tomamos banho, sem pensar no assunto, faz parte de nós.
aqui este assunto foi abordado e eu subscrevo o que ali foi escrito.

Mas…

Tomar um belo banho é sem dúvida um prazer relaxante, corremos todos os dias para de baixo da água e a maior parte das vezes fazemo-lo a correr, sem pensar no assunto.

Nestes dias de frio, a água quente que nos vai salpicando a pele aquece-nos, relaxa-nos contrapondo-se ao tempo frio habitual do inverno.

Sabe bem sentir a água quente a correr pelo corpo, se por vezes é a correr, outras deixo a água correr livremente, deixo-a tocar-me como se dedos fossem, acariciando todo aquele corpo nu.

E claro está, aquele toque da água chama pela líbido, apela ao prazer que vai para lá do sentir a água a correr pela pele.



O toque da água estimula-me e desperta outros sentidos que estavam adormecidos antes, o jato de água direccionado para o sítio certo, apela a outros prazeres. 



1.JPG



















o coração bate mais depressa, levando o sangue a partes do corpo que estavam relaxadas.

2.JPG



o corpo chama por um toque mais certeiro e conhecedor dos sítios certos onde tocar. 

a espuma do banho ajuda a mão a deslizar, num vai e vem estimulante.


3.JPG


É uma espécie de mini orquestra onde cada músico toca o seu instrumento e desse conjunto nasce uma pequena melodia entre um gemido, um arrepio, um suspiro, um aahhh que bem que sabe.

4.JPG



















A água continua a correr pelo corpo mas agora muito mais relaxado

quinta-feira, 10 de setembro de 2015

8!


8 anos... caramba, o tempo passa! É um cliché, eu sei, mas não deixa de ser verdade. Temos andado bastante ausentes, mas não me esqueço deste espaço e de como sou feliz aqui. Se não vimos mais, se não alimentamos, é porque temos outras prioridades, atrevo-me a dizer que estamos demasiado ocupados a viver. Talvez um dia destes possamos trazer para aqui algumas dessas... vivências. Nunca esquecerei a importância deste sítio, ainda tenho algumas ideias que gostava de concretizar aqui, mas depois de tanta coisa, é difícil trazer algo de novo. Não vou prometer nada, a única coisa com que me posso comprometer é que tudo o que for feito, será com prazer. Quando tiver de ser. Agora vou tratar de continuar a viver. Com muuuuito prazer!

sábado, 11 de abril de 2015

provocação gratuita 103

"- A mulher europeia - continuou o coronel -, está para a africana como o frango cozido em água e sal está para o churrasco. Falta-lhe a cor, o perfume, o sabor e o calor. Falta-lhe o gindunguzinho, meu caro."

José Eduardo Agualusa, Nação Crioula

sábado, 28 de fevereiro de 2015

Sugestões de leitura com alguma música à mistura

Conhecemos o autor na Blogosfera e depois pessoalmente em três memoráveis concertos. Ele escreve, ele toca, ele canta, enfim, é um artista completo! Um humor e sentido crítico apurados, com toques de erotismo - é a forma que arranjamos para definir a sua obra. E já conta com 5 títulos:

Lilith

Miguel Lages é um escritor isolado numa casa de praia em plena crise criativa e a um mês da entrega do seu romance seguinte, para o qual não tem ainda, sequer, um título.
Inesperadamente recebe a visita de uma jovem de extraordinário porte e beleza que afirma chamar-se Lilith e que lhe dará a história da sua vida. Insta-o a procurar informação acerca dela e Miguel, com a sua curiosidade espicaçada, vem a descobrir as referências à primeira mulher de Adão, que se rebelou e saiu do paraíso, mas também descobre uma figura transversal a quase todas as antigas civilizações.
Incrédulo, Miguel dá-lhe uma hipótese de contar a sua história e acaba arrebatado por um misto de lendas e das realidades que estiveram na origem das mesmas. Mas se a principio tem apenas uma curiosidade académica, acaba por dar por si a respeitar e amar aquela mulher, embora tenha uma enorme dificuldade em percebê-la.
Mas ao mesmo tempo Lilith, sem que ele se dê conta, leva-o numa viagem de auto-conhecimento… 
WookFnac

Conscientização

Apesar de muitos afirmarem que as pessoas não mudam, haverá um momento em que ganhamos plena consciência de quem somos e do que nos rodeia, alterando permanentemente a nossa visão do mundo?

E se esse momento existir, seremos capazes de o reconhecer?


Fnac | Wook 





Chuva

E se alguém completamente à margem da sociedade, com desprezo pela humanidade e por si próprio por ser humano, descobrisse mensagens de eventos futuros ocultas na chuva?

Amazon (versão impressa e versão digital)
Treta de cabos, volumes 1 e 2

As aventuras e desventuras de um grupo de músicos à solta na tugalândia.
"Durante duas horas os Undercover desfilaram os sucessos mais recentes de bandas antigas e os temas mais antigos de bandas recentes num sítio que tinha uma lotação para umas quarenta pessoas mas onde estavam seguramente mais de duzentas, onde toda a gente falava de tal maneira aos gritos para se ouvirem por cima da música que era tocada que acabavam por a abafar."
Ambos os livros contêm CD com música dos XXL Blues
Wook | Fnac | Amazon (versão impressa e versão digital)

Amanhã às 15:30, haverá apresentação do livro Treta de Cabos na Livraria Lua de Marfim, Av. Conde Castro de Guimarães, 22 A, 2720-059 Amadora. Apareçam por lá!

C N Gil Blog  | Goodreads || XXL Blues Facebook

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Pele



É uma questão de pele. Que arrepia. Que um simples toque faz estremecer. Que uma mão na mão, ou um braço no outro, faz queimar. Que inebria involuntariamente.


É uma questão de pele. Ou arrepia, ou não. É uma questão de química. E de misturar fluídos com sentimentos. De queimar. De querer. De precisar.

A minha pele e a tua. A minha pele na tua. A tua pele em mim:

É pele. É paixão. É entrega. É arrepio. É nós!


Texto Rita Leston


sábado, 20 de dezembro de 2014

provocação gratuita 101

Aquele olhar de felicidade cúmplice que se troca quando assistimos ao casamento de um casal com quem partilhámos intimidades que nenhum dos convidados imagina...