quinta-feira, 4 de outubro de 2007

A minha primeira aventura (4ª parte)

1ª Parte

2ª Parte

3ª Parte


(…)

Os brinquedos…

Como ia dizendo, também eu queria brincar, ou melhor, que brincassem comigo.

A minha amiga por esta altura está “sem fôlego”, deixa-se ficar um pouco, depois de me agarrar, ela abraça-me com força, dizendo que era muito bom estar ali, que aquela noite estava a ser maravilhosa, que nunca tinha tido tanto prazer e tão intenso como naquela noite.

De repente levanta-se, “empurra-me para o chão”, a minha amiga virou “dominadora” e sabe muito bem, estar sob o “domínio” dela.

Sinto os lábios dela no meu corpo, já os havia sentido antes, e continua a saber muito bem, sinto a língua dela a correr pelo meu corpo, no meu peito, porra que bem que sabe!

Sinto-a, sinto-a de uma forma que nunca na vida tinha imaginado senti-la, toca-me no meu sexo, sinto a língua dela das virilhas, também eu tinha me depilado, pelos é coisa que não existe, a minha pele está macia, lisa, suave, sinto a língua dela do meu sexo, sinto e estremeço o meu corpo arrepia-se só com a passagem muito ao de leve da língua dela pelas minhas virilhas, sinto-a ela lambe-me, beija-me acaricia-me, masturba-me, hummm!!!!!!!

Ela manda-me virar, sinto a língua dela do meu rabo, sinto a língua dela dentro do meu rabo, porra que sabe bem!

Sinto que os brinquedos estão perto, sinto algo a tremer próximo de mim e a escorregar pelo meu corpo, sinto-o a entrar dentro de mim, é confortável, tal como a minha amiga diria, tem o tamanho certo, sinto-o, não imaginaria que era tão agradável, o meu amor soube bem escolher!

Ela continua a dar-me prazer, tenho de mudar de posição esta posição é boa, mesmo boa, mas as minhas pernas já não se aguentam, viro-me de frente, e tenho a minha amiga na minha frente, vê-se que está extremamente excitada, ela masturba-se enquanto me penetra, eu beijo-a, beijo-a intensamente, ela domina-me, empurra-me para o chão e volta a penetrar-me, é bom, muito bom, e agora posso olhar para ela, sentir a sua excitação, sinto que estarei próximo do orgasmo, a minha amiga continua loucamente a penetrar-me com o brinquedo e a masturbar-se, ela também está próxima do orgasmo, vimo-nos, temos um orgasmo em simultâneo, os nossos corpos estão suados e oleados (é bom não esquecer que eu antes tinha massajado a minha amiga, e usado bastante óleo).

Ficamos no chão, deitadas, beijamo-nos, mimamo-nos, os nossos corpos estão cansados, a nossa respiração é ofegante, os nossos corações batem velozmente.

Olho para o meu amor, está no mesmo sítio, vi que estava sem uma boa parte da roupa, masturbou-se enquanto assistia, tem de ser compensado! Mas vai ter de esperar este momento é meu e da minha amiga!

(…)

Passou-se algum tempo, segundos, minutos não tenho bem certeza, o meu corpo recuperou, sentia-me bem, a minha amiga também já estava recuperada, votamo-nos a beijar, já não me lembro se disse, mas adoro beijar a boca da minha amiga!

Levantamo-nos e vamos ter com o meu amor.

Pegamos-lhe nas mãos e puxamo-lo para o nosso meio. Digo à minha amiga para beijar o meu amor, ela olha para mim meio sem saber o que dizer o que fazer, o meu amor também, mas eu digo-lhes para não recearem e beijarem-se, tocarem-se, sentirem-se.

E assim foi, ela tocou, beijou sentiu o meu amor, e eu fiquei a ver por uns momentos e por fim também fui à carga, partilhei o meu amor com a minha amiga, beijos, toques, carícias, sexo, suor, ouve de tudo nessa noite, acabou por ser uma noite de muito prazer, ver e sentir, fazer amor a três, na mesma cama, na mesma noite, acabamos os três a dormir agarrados numa mistura de pernas braços e troncos, mas confesso que ele ficou um pouco à margem, e aproveitei para estar com ela o máximo de tempo possível, para a sentir como na verdade nunca a tinha sentido, era uma situação nova para as duas, mas ambas gostamos do que fizemos e como o fizemos, uma experiência diferente, nenhuma estava preparada para aquela noite, para o que aconteceu, mas foi bom, muito bom, foi a minha primeira aventura.

Ao meu amor devo em parte a oportunidade que nos deu, como é que ele preparou tudo não sei, nem a minha amiga sabe, pode ser que um dia nos conte. Mas agradece-lhe, por nos respeitar, por nos dar espaço, por saber partilhar e aceitar partilhar.

Podia acabar por aqui, mas ainda tenho um domingo soalheiro para aproveitar para estar com as duas pessoas que me são mais queridas, o meu amor, e ela a minha amiga.

(…)

10 comentários:

Quimera disse...

Esta foi realmente uma noite de descoberta! Talvez um dia conte a história como a senti, pela minha perspectiva. Uma coisa é certa, adoro-vos, tenho vontade de repetir tudo mtas vezes!
Beijos quentes...!

AmanteSensuais - Luis disse...

.. intenso ... demais ... tantas vezes nós sonhamos isso .. e até mais ... ainda para mais bem escrito .. cumplicidade a 3 .. a 4 ... porque não a 5 até ... recuso-me a morrer sem passar por isso ... em sonhos é bom ... mas ....

"Minhas Lindas" disse...

Geeeeeeenteeeee!!! Que coisa gostosaaaaa!!!!

Adoramos esse cantinho!!!

Vamos publicar esse texto lá qualquer dia tá bom....uummmmm calor.....

Borboleta Endiabrada disse...

Os teus textos deixam-me sempre em excitação completa...;)


Beijinhos endiabrados

carpe vitam! disse...

Sim, talvez eu a conte também, à minha maneira, um dia destes. Uma coisa é certa: as nossas experiências reflectem-se em tudo o que escrevemos, seja ficção ou realidade.
Nós também não queremos morrer sem experimentar mais, mas sobretudo o que me interessa é experimentar melhor.

carpe vitam! disse...

Minhas lindas, tal como já vos dissemos, estão à vontade para publicar os textos, desde que façam referência à fonte.
Muchas gracias.
beijos fresquinhos :-)

blackangel disse...

uaaaaauuuu!!!!!

Ant disse...

O rabinho estava lavadito, espero. Que grande salganhada. Mas tá bem... eu nestas coisas é mais organizem-se hehehehe

Foxy disse...

Excelente...

cereja disse...

ainda bem que o imperador já descongelou !
Que delicia vocês são e sãos!
Que bom!