sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Massagens a 4 mãos - a ela

Estávamos os três cansados, ela tinha estado a trabalhar o dia todo, nós fartámo-nos de passear a pé, e a noite anterior tinha sido de estragação total, a dançar e a beber pela madrugada dentro.
Decidimos ficar por casa, o quarto estava frio, mas musiquinha calma e as velas perfumadas do costume ajudavam a aquecer o ambiente.
Primeiro ela, que tinha estado a trabalhar enquanto nós nos divertíamos. Tomou um duche, estava gelada dentro do roupão, tínhamos de a aquecer bem.
Escolheu um gel de massagem anti-stress com alfazema e ylang-ylang, muito leve, nada oleoso.
Começamos pelos pés. Tem uns pés pequenos, à imitação do corpo. Com movimentos coordenados, vamos pressionando nos pontos estratégicos, com os polegares, com os nós dos dedos na curva, com as duas mãos agarrando o pé por completo, pressionando junto aos tornozelos, contornando-os… não resisto e mordo-lhe o dedo grande, ela ri-se.
Continuamos pelas pernas, apertando os gémeos, os adutores… ela abre ligeiramente as coxas, deixando antever um pouco o sexo lisinho e apetitoso. Passamos pelas virilhas, contornamos as nádegas… que vontade de lhe enfiar a mão naquele vale apetitoso! Mas não o faço, ela não está para aí virada, sei-o pela expressão do seu corpo, se quisesse, pedia.
Voltamos a cobrir-lhe a parte inferior do corpo com o roupão e dirigimo-nos às costas. Ela está magrita, consigo sentir-lhe as costelas e fico com a sensação de que ela é muito frágil. Sei que é uma ideia tola, na verdade ela é bastante forte, mas tenho especial atenção com as costas dela, tento ser delicada.
Ombros, pescoço, nuca… massajamos-lhe os braços delicados, os pulsos, as mãos… esfrego a minha mão na dela, têm o mesmo tamanho, apesar de ela ser mais pequena que eu, peço-lhe para se virar de costas, para a podermos massajar por completo. Novamente os pés. Agora já estão mais morninhos. Apertamos o peito do pé, esfregamos bem, continuamos pelas canelas, pelo joelhos, subimos às coxas e voltamos a tornear as virilhas, ai, que vontade!...
Continuamos, pelo ventre, que bem que sabe contornar-lhe o ventre, à volta do umbigo, mais uma vez domino a minha vontade de lhe enfiar a língua, tenho de me concentrar no prazer dela, não no meu.
Seguimos pelo tronco, apertando bem de lado, até ao peito – massajamos as maminhas firmes, só me apetece morder-lhe o mamilo castanho, mas contento-me a esfregar-lho contra o meu polegar, circulando a auréola, ummm…
Ele pede para ela se sentar para melhor lhe massajar os ombros e a nuca. Acabo por ser eu a tratar do assunto. Acabo ao mesmo tempo e da mesma forma que termina a música: suave, e com um abraço. Voltamos a vestir-lhe o roupão, queremos levá-la até à cama, mas ela insiste que também nos quer massajar.

 continua aqui

12 comentários:

QJ disse...

e que bem que soube massajar...

bilhete de identidade disse...

Por acaso não sei o nome do acompanhamento musical do Clavigo. Consulte a RTP2, está nos arquivos.
Interesting!
Corine

carpe vitam! disse...

Já descobri, já está colocado: http://provocame.blogspot.com/2007/11/dana-i-ballet.html
Obrigado mais uma vez!

blackangel disse...

uma massagens vão sempre bem:P
LOL

blackangel disse...

gabriel yared, é isso mesmo...nenhum de nós se lembrava.
cá estou a ler...

carpe vitam! disse...

é sempre bom voltar a ter-te por cá, BlackAngel, desde que o teu lado Black não volte a fazer das suas... prefiro o lado Angel.

Alguém Comum disse...

Onde está a outra mão?

carpe vitam! disse...

Isso agora... talvez a pergunta que se impõe seja: onde andam as outras três mãos?

Neptu'nus disse...

linda massagem, é possivel passar à frente e ser o primeiro dessa fila interminável...quero sentir essas vossas mãos

carpe vitam! disse...

neptu'nus, à frente não poderás passar, ainda faltam mais duas, a fila não é assim tão interminável, se estiveres disposto a esperar, quem sabe...
?

Sonhadora disse...

olá boa noite
gostei da sugestão,
como sempre gostei do que li, mas não falemos de massagens

carpe vitam! disse...

olá! Boa noite para ti também. Este texto tem continuação aqui: http://provocame.blogspot.com/2007/11/massagem-4-mos-ele.html