sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Quentes e Boas

Quentes e Boas...

Apregoava ela com os seus cabelos castanhos esvoaçando.

O pregão chegava-me aos ouvidos como uma melodia doce, nem sei bem porquê, mas sabia bem ouvi-la apregoar “quentes e boas”.

O apetite levou-me junto dela, era simples e bonita, cabelos castanhos curtos, olhos meigos e doces. Quanto é a dúzia menina perguntei eu, e ela lá me respondeu, o preço, bem não interessa, o apetite pelas castanhas quentes levou-me a comprar a dúzia.

A cara dela estava mascarrada numa mistura de carvão com fuligem da castanha, ficava-lhe bem aquele mascarrado.



Sinceramente não gosto muito de castanhas, gosto de comer umas assadas de vez em quando, mas gosto mais do sal que por ali fica, sabe bem melhor o sal do que a castanha…

Fui para o canto de onde tinha emergido e fiquei a admirar a vendedora de castanha, que lá ia apregoando o seu “Quentes e boas”...



Ela era bonita, nova, devia ter uns 28 anos (mais coisa menos coisa), olhava-a e via a sua perícia a enrolar as castanhas numa folha de papel de jornal e entregar aos clientes.

O seu corpo era delicado, dava para ver algumas curvas, discretas mas estavam lá, tinha um peito volumoso mas não demasiado, diria que encheria muito bem uma mão.

As castanhas estavam quentes, e com o sal estavam deliciosas, o meu apetite leva-me a ir devorando castanha a castanha, apreciado a vendedora de castanhas.

Irradiava doçura, e não sei bem porquê, olhava para ela e o meu desejo crescia, queria ir ali ter com ela e beija-la, sentir os lábios dela, devem ser quentes como as castanhas que vende.
Acabo por ficar a “dormir em pé” imaginando-me com ela, beijando-a, tomando-a para mim, beijar-lhe o peito, lambuzar-me nela, lambendo-a, imagino o seu sexo, rapadinho, imagino-me a beijá-la com a língua, a sentir o meu sexo dentro dela, senti-la vir-se num orgasmo, ter o meu orgasmo, ela deve ser quente como as castanhas que vende.

O raio do telefone toca, volto à realidade, ela lá está, com o seu sorriso doce e meigo a vender castanhas, apregoando....

“Quentes e Boas”…



ilustração: Carpe Vitam

6 comentários:

carpe vitam! disse...

Hás-de dizer-me onde é que encontraste essa vendedora de castanhas... ;-)

Ant disse...

Fantástico... e ainda dizem que sou tarado qunado comento estas fantasias...

QJ disse...

fantastico é fechar os olhos, saborear as castanhas quentes com sal na nossa boca, e receber um beijo quente e bom de uma bela vendedora de castanhas

Alguém Comum disse...

A mulher, no Inverno que se aproxima, deseja-se como as castanhas...

CamaReira disse...

Que calor delicioso..

Beijos Ardentes

carpe vitam! disse...

Se bem me lembro, aquela castanha foi comida ainda quentinha, depois de desenhada, não durou muito tempo... quero fazer o mesmo contigo, desenhar-te e saborear-te!