terça-feira, 1 de julho de 2008

de onde veio o peixinho...

"A tua beleza submerge-me, submerge o mais fundo de mim. E quando a tua beleza me queima, dissolvo-me como nunca, perante um homem, me dissolvera. De entre os homens eu era a diferente, era eu própria, mas em ti vejo a parte de mim que és tu. Sinto-te em mim. Sinto a minha própria voz tornar-se mais grave como se te tivesse bebido, como se cada parcela da nossa semelhança estivesse soldada pelo fogo e a fissura não fosse detectável."
Anaïs Nin, A Casa do Incesto

Este é o meu excerto preferido do texto que inspirou a cereja aqui

Download do texto completo e outras obras da mesma autora aqui

4 comentários:

Otário disse...

«3

;9

belo texto. não tive tempo para ver o resto (os links). volto noutra altura. só comentei para estrear (parece que, de novo, fui o 1º)!

ehehehhe

Marquesa disse...

E para onde vai o peixinho??

Carpe bela escolha, Anaïs Nin.

Beijo

carpe vitam! disse...

para saber para onde vai o peixinho, há que ler o texto... também não é assim tão grande, e é uma delícia :)

lalisca.cs-life disse...

Lindo!!
beijo