terça-feira, 3 de março de 2009

TEMET NOSCE: esta coisa de conhecer pessoas na net - parte 2

continuação daqui

Ela foi extremamente simpática comigo, guardo religiosamente os e-mails que trocamos e releio-os sempre que me apetece. Incentivou-me e inspirou-me a escrever, teclamos algumas coisas a quatro mãos que nos dão imenso prazer. Pequenos contos, poesia, jogos de palavras e maluquices que nos passam pela cabeça.

Temos muitas vezes opiniões divergentes, o que nos leva a debates até à exaustão pela noite dentro. Aprendo sempre alguma coisa com ela e por vezes ela consegue fazer-me mudar de opinião, ver as coisas de outra forma.

Fomos construindo a nossa amizade devagar, ao sabor da disponibilidade dela, que entre o trabalho e os estudos não era muita. Eu vibrava cada vez que tinha o privilégio de a ver online e ela metia conversa comigo. Era um enorme prazer, sentia-me nas nuvens.
Tentava manter o contacto enviando e-mails. Inicialmente tímidos, a mandar o barro à parede, a ver até onde poderia ir. Fui sempre provocando um pouco mais, e ela respondia sempre à altura.

Fiz-lhe um retrato escrito de como a vejo: absolutamente maravilhosa. Descrevi a personalidade, especulei sobre o aspecto físico. Ela riu do meu retrato, achou que ficou bastante favorecida.

Ela descreveu ao pormenor como gostaria de me beijar e eu disse-lhe também ao pormenor como gostaria de lhe mimar o sexo, como gostaria de a mimar toda.

Na net as pessoas são todas lindas e entusiasmantes até prova em contrário. É claro que por haver química online, não significa que na realidade ela exista mesmo, mas a imaginação é uma ferramenta poderosa neste jogo, e pode ser perigosa se não a conseguirmos distinguir da realidade.

Trocamos fotos. Ela começa a enviar-me pormenores do corpo que eu adoro e retribuo como posso. Ela gosta e envia mais. Não me envia o rosto, apenas os lábios e os olhos.

Os olhos.
Sei de cor cada detalhe. Perdi a conta às vezes que me vim a olhar para aquela imagem, às tantas já não precisava de olhar e via apenas a gravação que fiz deles na memória.

Eu reconheceria aqueles olhos em qualquer lugar. Às vezes ponho-me a olhar para as pessoas que encontro pelo caminho, penso qual seria a minha reacção se os encontrasse. Jamais me aproximaria, creio que ficaria a observá-la tanto quanto possível, discretamente, sem levantar suspeitas.

Ela pode ser uma grandessíssima mentirosa. Pode até ser um homem, uma figura pública, o Pai Natal. Não faz a mínima diferença quem ela é na realidade. O que interessa é o que a minha imaginação faz como que ela me dá.

Nunca tinha questionado a minha orientação sexual, desde muito cedo se tornou clara e assim permaneceu até ao momento em que ela abalou a minha convicção e eu comecei a não ter tantas certezas e as dúvidas começaram a assaltar-me. Na teoria, sempre fez sentido para mim uma pessoa poder sentir tesão, apaixonar-se, amar, independentemente do sexo da outra pessoa, mas na prática, nunca tinha vivido tal coisa.

ilustração: cão sarnento
continua aqui

12 comentários:

bluebutterfly disse...

Imaginação ou realidade!!????

Mas já vi este filme em algum lado


Vou aguardar a continuação ...amanhã á mesma hora :)

Felina disse...

Lá terei de voltar amanhã

Érica disse...

Aguardando ansiosa "pour la suite"! Estou me deliciando. Beijos

carpe vitam! disse...

blue butterfly, e porque não realidade com imaginação?

carpe vitam! disse...

até amanhã, felina ;)

carpe vitam! disse...

Érica, é muito bom saber que o que se conta por aqui delicia, gracias!

Sarah disse...

Onde é que eu já vi isto antes? Hmm...
E a casa nova? Fantástica!! Parabéns pelas mudanças!
Beijos doces

Tana disse...

Estou deliciada a ler-te!
Deliciada com o que vives (?) e com o que sentes...e como o escreves bem...
Um beijo.
Aguardo ..
to be continued:P

darkinha disse...

Foi bonito cmo a retrataste, sao tantas as x que a imaginaçao nos completa mais do que a realidade e as x a net tem alguns troques generosos.
Adorei o blog, beijos e good luck

p.s dsclp a invasao

carpe vitam! disse...

darkinha, que história é essa de invasão? És sempre bem-vinda se vieres por bem, desde que tires os sapatos à entrada, é claro ;)

Alien David Sousa disse...

E não é que estou a ficar viciada nesta história. Vou aguardar por novos desenvolvimentos=)

Saudaçõesa alienígenas

Muito Complexo disse...

Fantástico :)