segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Voar


Nunca andei de avião. Nem de helicóptero, balão de ar quente, asa delta, ou qualquer outro tipo de dispositivo voador. Mas voo frequentemente nos meus sonhos, na minha imaginação.

Tenho de ingerir muito açúcar para ter energia suficiente para voar. Então, antes da viagem, como tudo aquilo que é normalmente proibido: gelados, bolas de Berlim, chocolates… até fartar. Às vezes começo a voar ainda com aquele gostinho doce do chocolate a derreter na boca.

Dou um impulso com as pernas e num salto, começo a flutuar. Depois faço como se estivesse a nadar. Dou aos braços e às pernas, faço o movimento necessário para subir. Vou deslizando pelo ar, encontrando alguma resistência, mas não tanta que me faça desistir. E começo a ver as coisas de cima para baixo. Sinto a vertigem da altitude, à medida que vou subindo. Aproveito correntes de ar para planar.

Os telhados vão ficando mais pequenos, as copas das árvores parecem cabeças de cabelo crespo, vejo os pedaços de terra cultivada que formam mantas de retalhos coloridos a aconchegar a paisagem. Passo por dentro das nuvens e não consigo ver nada, envolve-me um nevoeiro húmido e intenso.

Depois quando me canso, começo a descer lentamente. Mergulho no ar de cabeça para baixo, rebolo, faço piruetas e cambalhotas e caio sempre suavemente de pé, como se tivesse pára-quedas.

Se tudo correr bem, à hora em que este post for publicado, estarei finalmente a voar de avião pela primeira vez. Era daquelas coisas que estavam na “lista de coisas a fazer antes de morrer”. Quando regressar, já posso riscar mais essa da minha lista.

Foto: Ibéria

7 comentários:

Sleeping Angel disse...

bem como sei k já voltaste deixo aqui um desafio agora conta lá essa experiência afinal não é assim tão mau andar de avião pois não ha ha ha ha

carpe vitam! disse...

sim, já voltei e com tudo no sítio! Adorei a experiência, quero ver se repito em breve! Já escrevi umas coisas sobre isso, um dia destes publico aqui. :-)

Jo disse...

E que tal foi?

Anita :) disse...

boa viagem:)))não custa nada:)

Língua Lasciva disse...

Tem surpresa para ti lá no blog....
;)

carpe vitam! disse...

jo, foi mesmo bom! nem acredito que tive de esperar quase 29 anos para poder experimentar!

carpe vitam! disse...

Anita, a viagem foi óptima, hei-de escrever sobre isso! :-)