quinta-feira, 11 de setembro de 2008

à chuva

Chove lá fora, sento-me na cama a ouvir o som da chuva a bater no beirado da janela, sabe bem ouvir o som da chuva, relaxa-me, faz a minha imaginação voar enquanto espero por ti..


Dou uma escapadela à rua, vou até à praia e vejo chover junto do mar, sabe tão bem, a água corre pelo meu corpo, não tenho uma peça de roupa seca, se calhar devia voltar para casa, mas sabe tão bem estar aqui em frente do mar a sentir a chuva bater no meu corpo, é melhor ir para casa, com um pouco de sorte tu já chegaste e ainda me ajudas a tirar esta roupa molhada e de boleia tomamos um belo duche quente.


E de facto, lá estás tu, um sorriso de orelha a orelha, um beijo quente e bem molhado para matar as saudades que já eram muitas.


Entramos em casa, a minha roupa estava toda molhada não tinha ponta de roupa seca em mim, tu ajudas-me a tirar a roupa, que bom que é voltar a sentir as tuas mãos no meu corpo, os teus dedos a passarem pela minha pele molhada, os teus beijos que me aquecem o espírito.

Acabamos por ir para a casa de banho, sinto a água quente a correr pelo meu corpo, sinto as tuas mãos a correrem pelo meu corpo, não sei bem porquê mas deixo-me estar, entre a água quente do chuveiro e as tuas mãos calmas e doces a correr o meu corpo, deixo-me ficar tal como estou, num estado de total relaxe, embora sinta a excitação do momento a correr por todo o meu corpo, sinto as tuas mãos a tocarem-me e a tua boca a beijar-me, tinha tantas saudades de te sentir junto de mim, e assim, ambos sem roupa no banho…


Pressinto pelo teu toque que nos vamos divertir ali no banho, depois do teu toque e dos teus beijos, colocamo-nos numa posição confortável, os nossos sexos unem-se como um só fosse e nesse vai e vem de prazer atingimos em simultâneo o orgasmo, deixando correr pelas pernas o resultado final do nosso encontro no duche.


És tu que me dás banho, sabe tão bem ver as tuas mãos a lavar o meu corpo, cheias de espuma e de gel de banho, lavamo-nos, secamo-nos, vimos para o quarto.


A chuva continua a cair com a mesma intensidade, oiço-a claramente a bater na janela do quarto, abraçamo-nos, aconchegamo-nos no quente do quarto, e deixamo-nos ficar a ouvir o som da chuva a bater nas janelas, embalando-nos numa sonolência meiga e doce…


Assim ficamos neste embalo musical das gotas de água a bater nas janelas…

6 comentários:

Noivo disse...

ai que saudades de ouvir a chuva lá fora enquanto se está mergulhado na água quente....

Japonezuda disse...

Huuumm que delicia, o som da chuva embalando amores...

Parabens pelo 1 ano

Beijo

carpe vitam! disse...

A música da chuva... adoro! Temos de sair lá para fora e provar a chuva na ponta da língua, pode ser?
Gracias QJ :)

noivo, não tem chovido por aí?

Gracias japonezuda!

Shelyak disse...

É o que se chama Paz...:)))
Há que dar valor a esses tempos que se pretendem sejam eternos...
Até à volta!

Loulou disse...

É tão bom ficar enroscado na cama a ouvir chover lá fora... sobretudo depois... ;-)

Beijinhos e Parabéns

Fecho Aberto disse...

Interessante, senti hoje de manhã as primeiras gotas de chuva a cairem sobre mim, e pensei pegar na minha desejada fada silenciosa e ir passear para a areia da praia.

Obrigado pelo vosso cenário!

Como vês não seríamos os únicos loucos em busca do prazer.