terça-feira, 16 de setembro de 2008

diálogos (im)prováveis II



Closer


- Estás a deixar-me? Por causa disto? Porquê?
- Dan.
- O cupido… Ele é a nossa piada.
- Eu amo-o.
- Têm se encontrado? Desde quando?
- Desde a minha estreia, no ano passado. Não valho nada.
- És fenomenal. És tão esperta. Por que casaste comigo?
- Parei de sair com ele. Queria que desse certo connosco.
- Por que me disseste que querias filhos?
- Porque queria.
- E agora queres filhos com ele.
- Sim… Não sei.
- Mas... Somos felizes... não somos? Vais morar com ele?
- Podes ficar aqui se quiseres.
- Olha, estou pouco me lixando para o espólio. Fizeste isso comigo no dia que nos conhecemos. Ficaste a enrolar-me para tua diversão. Por que não me disseste na hora que entrei por aquela porta?
- Eu estava assustada.
- És uma cobarde, sua puta mimada! Estás vestida porque achaste que eu te ia bater? O que achas que sou?
- Já apanhei antes.
- Mas não de mim! Ele fode bem?
- Não faças isso.
- Responde à pergunta. Ele é bom?
- Sim.
- Melhor que eu?
- Diferente.
- Melhor?
- Mais gentil.
- Como assim?
- Sabes o que quero dizer.
- Diz-me.
- Não.
- Eu trato-te como uma puta?
- Às vezes.
- E por que será?
- Sinto muito, tu és...
- Não digas!
- Não digas que sou bom demais para ti, eu sou, mas não digas isso.
- Estás a cometer o pior erro da tua vida. Estás a deixar-me porque achas que não mereces a felicidade, mas mereces, Anna.
Tomaste banho porque fizeste sexo com ele? Para não cheirares a ele? Para sentires-te menos culpada? Como te sentiste?
- Culpada.
- Alguma vez me amaste?
- Sim.
- Fizeram-no aqui?
- Não.
- Por que não?
- Querias que tivéssemos feito?
- Diz a verdade.
- Sim. Fizemos aqui.
- Onde?
- Ali.
- Nisto? Demos a nossa primeira foda aqui. Pensaste em mim? Quando? Quando o fizeste aqui? RESPONDE À PERGUNTA!
- Esta tarde.
- Vieste-te?
- Por que estás a fazer isso?
- Porque quero saber.
- Sim, vim-me.
- Quantas vezes?
- Duas vezes.
- Como?
- Primeiro ele chupou-me e depois fodemos.
- De que forma?
- Eu estava em cima e depois ele fodeu-me por trás.
- E foi então que te vieste pela segunda vez…
- Porque é que o sexo é tão importante?
- PORQUE SOU UM HOMEM DAS CAVERNAS, FODA-SE!
Tocaste-te enquanto ele te fodia?
- Sim.
- E bateste-lhe uma?
- Às vezes.
- E ele também?
- Fazemos tudo que as pessoas que fazem sexo fazem!
- Gostas de lhe chupar o pau?
- Sim.
- Gostas do pau dele?
- Adoro!
- Gostas que ele se venha na tua cara?
- Sim!
- A que é que ele sabe?
- IGUAL A TI, SÓ QUE MAIS DOCE!
- É esse o espírito. Obrigado. Obrigado pela honestidade. Agora pira-te e morre! Sua puta miserável…

26 comentários:

AnjoTriste disse...

Fantastico!!
Belos promenores esses ....

Beijão, Bruno

carpe vitam! disse...

Brutalmente honesto, não é? Surreal...

Anonimo do Algarve disse...

Essa bateu mesmo, ser corno deve de ser fodido.

BJs

carpe vitam! disse...

Pois deve. Mas ela não se fica a rir. Enfim, é melhor não dizer nada para não estragar a visão do filme.

Noivo disse...

tem pano pra mangas!

Doce Veneno disse...

Brutal!

Adorei mesmo.

Deu um frio no estômago..

Red Angel disse...

A vida tem destas merdas... amanhã é outro dia...

Beijo

Shelyak disse...

Fiquei sem palavras...!!!

Lo. disse...

Gosto desse filme desde a primeira palavra até a última.

Carpe vitam!, vou pensar na provocação. =D

carpe vitam! disse...

noivo, se tem!

doce beneno, é brutalíssimo mesmo.

red angel, nada como um dia depois do outro...

shelyak, é de tirar o fôlego!

lo. sim, eu também gostei do filme. fico a aguardar a tua provocação gratuita!
Beijo

Pearl disse...

Já vi duas vezes o filme na minha opinião é muito bom!

beijo

Laura disse...

Vi este filme e foi há pouco tempo. Adorei.
Gostei muito de ler aqui esta cena, que na altura, me fez pensar o mesmo que neste momento.
Não vale a pena tentar racionalizar o que é irracional, absurdo e não faz sentido.
E conto-te o que o Woody Allen pensa dos relacionamentos, numa piada.

Um homem vai ao psiquiatra (tinha que ser! lol)
queixa-se que o seu irmão está doente.
O psiquiatra pergunta-lhe:
-Mas o que se passa com seu irmão?
o outro responde:
-Estamos muito preocupados, o meu irmão pensa que é uma galinha.
o psiquiatra diz:
-Entendo, mas porque não trás aqui o seu irmão, para eu o poder observar?
resposta:
-Porque precisamos dos ovos.

Beijos e tal ;)

miriamdomar disse...

Brutal mas verdadeira!
Mentir para quê?
É o ser humano, na sua essencia, fraco!
Tanto do lado dele que se deixou levar por ela ,como do lado dela que não resistiu a algo inevitável !
Ás vezes complicamos as n/ vidas e a do outro, sem necessidade!
Ainda não vi este filme !:(
Diz-me o titulo p/a eu o poder apreciar melhor!
Bjs

carpe vitam! disse...

Laura, o Woddy é mesmo genial. Eu conhecia uma versão finlandesa, que aparecia num anúncio da Heineken, em que a irmã de uma velhota pensava que era um frigorífico há coisa de dois anos, mas só agora ela estava no psiquiatra porque tinha começado a descongelar...

carpe vitam! disse...

Mas sim, isso diss muito sobre as relações humanas e sobre a forma como usamos as pessoas.

carpe vitam! disse...

miriam, é a natureza humana nua e crua sim, mas será que é smepre assim? será que é inevitável mentir primeiro para se ser brutalmente honesto depois?

o filme chama-se Closer, encontras um link para a ficha técnica debaixo do vídeo. Em prtuguês creio que se chama Perto Demais.
Vê, tem diálogos muito bons!

Laura disse...

Essa tb gostei! E o Allen tb, estou certa! lol
O absurdo que afinal, é o retrato íntimo do ser humano.
Mais beijos ;)

muito querida disse...

ADOREI.
Melhor só mesmo "Amor cão" filme espanhol que ganhou um prémio de melhor filme no fantasporto da altura. Nunca o consegui encontrar na net :(
bjs

jade disse...

cada um tem suas fraquezas,às vezes parece inevitável,mas é sempre bom pensar e muito antes de tomar determinadas atitudes.
esse filme é maravilhoso.

Bjs.

O Principe disse...

Puta que pariu!... que Brutalidade!

Beijos Principescos!

Bichinho disse...

Que filme...beijo fantasma.

Black Angel disse...

closer...

carpe vitam! disse...

muito querida, eu encontrei o amor cão e não desgostei, mas por muito violento e brutal que seja, não tem diálogos com esta honestidade e intensidade. gostei no entanto da relação das pessoas com os cães. só não percebi se eles maltrataram realmente os cães ou se os cães eram realmente os melhores actores da película...

carpe vitam! disse...

Jade, pensar antes de agir nunca fez mal a ninguém, desde que não seja demais, desde que não seja desculpa para não agir.

carpe vitam! disse...

Príncipe, se te dessem a escolher, preferias uma mentira suave ou uma verdade violenta?

(in)confessada disse...

um dos meus filmes preferidos...
inigualável!



beijo confesso