domingo, 9 de dezembro de 2007

o grande O Lá

Iniciámos a viagem que prometia ser longa e prazerosa.
Começámos devagar, a saborear cada curva, monte e vale sem pressa de chegar.
Tu já tinhas estado e disseste-me como é bom. Foste e voltaste e eu continuei contigo ao meu ritmo.
Demorei a chegar, mas quando assim é, sabe melhor a chegada.
O grande O estava à minha espera, como sempre, de braços abertos.
Nem sempre consigo abraçá-lo, mas desta vez consegui aproximar-me bastante e abracei-o calmamente, sentindo-o percorrer-me o corpo todo a partir do centro, numa explosão de prazer intenso. Não satisfeito, ele quer levar-me ao cume. Estou quase . Aumento o ritmo da caminhada até ficar sem fôlego. Viva, vibrante, revigorada – o meu corpo grita, liberta-me a alma! Ah, que paisagem magnífica! Que viagem maravilhosa! Deixo-me levar pelas ondas que me invadem e levanto voo. É bom demais! É intensa, demorada, deliciosamente violenta esta viagem até .
Fecho os olhos húmidos e deixo-me ir até a energia se esgotar e não ter mais forças, deslizo lentamente até ao chão e peço para me trazeres de volta, aninhada em ti saboreio os sentidos numa suave quietude.

12 comentários:

QJ disse...

A viagem é tão bonita, é calma, mas também é revolta como uma maré, mas quando se chega Lá...

Beijos deliciosamente provocantes

Sleeping_Angel.69@Hotmail.com disse...

Cuadro de PAZ

Erase una vez un rey que ofreció un premio al artista que pintase el mejor cuadro que representase la PAZ.

Muchos artistas lo intentaron.

El rey miró todos los cuadros, pero solo le gustaron dos, y tuvo que escoger entre ambos.


Un Cuadro retrataba un lago tranquilo.

El lago era un espejo perfecto de las altas y pacíficas montañas que estaban atrás, encima un cielo azul con nubes blancas como algodón.

Todos los que vieron este cuadro encontraron que era un perfecto retrato de Paz.

El otro cuadro también tenía montañas. Eran escarpadas y blancas.

Encima había un cielo amenazador del cual caía lluvia, y saltaban relámpagos.

No parecía nada pacífica. Pero cuando el rey lo miró, vi a un lado un pequeño arbusto creciendo en un pedazo de roca.

En el arbusto una madre pájaro había hecho su nido. Ahí, en el medio de la turbulencia de agua feroz, se instaló la madre pájaro en su nido; en perfecta PAZ.

Que pintura tú crees que ganó el premio? El rey escogió la segunda.

Sabes por que ?

"Porque," explico el rey, "PAZ no significa estar en un lugar donde no hay ruido, problemas o trabajo duro.

Paz significa estar en el medio de eso y además estar calmo en tu corazón.

Este es el significado real de la PAZ !

carpe vitam! disse...

Tens toda a razão Sleeping Angel, a Paz tem de começar por dentro. Obrigado :-)

"Minhas Lindas" disse...

Como sempre muito bom o texto....

Queridos, temos as finalistas de nossa campanha lá. Contamos com seus votos!

Bjkas

carpe vitam! disse...

minhas lindas, já votei. bem, se conseguirem juntar 9 talentos daqueles numa série dessas, vai ser um sucesso descomunal! sonhar não custa! ;-)

Noivo disse...

gostei da forma! adorei as palavras!

CamaReira disse...

Muito bem dito, gostei da subtileza, e da sedução das palavras. Lindo...

Beijos Ardentes

Ana disse...

A chegada só é explosiva quando a viagem vale a pena, não é?

carpe vitam! disse...

tens razão ana, mas não é só quando a chegada é explosiva que a viagem vale a pena. por vezes é bom viajar só para ter aquela sensação de regresso a casa :-)

Doce Veneno disse...

Brutal brutal brutal....

Bem escrito, mensagem subliminar mas á vista de todos.

Gosto de textos assim.. inteligentes!

Beijo

Viajante pelos Sentidos disse...

Uau... que bela maneira de nos transportar à grande viagem até ao BIG O...

Carlos Barbosa disse...

Como é boa essa viagem.