domingo, 30 de setembro de 2007

O Quarto Elemento

Adoro aqueles minutinhos ao acordar em que estou meia a dormir meia acordada. Nessas alturas acontece-me sentir que estou a ver um filme em que posso escolher algumas cenas e, ainda melhor, posso escolher o final do filme. Por vezes não sei se foi sonho ou pensamento. Esta manhã tive um sonho, chamemos-lhe assim, bastante excitante.
Estava num restaurante com um casal íntimo numa mesa para 4 pessoas. Chega então o 4º elemento. Não o conhecia de lado nenhum, era uma surpresa dos meus amigos.Cumprimentou-me com dois beijos e posou levemente a mão na minha cintura. Senti-me imediatamente atraída por ele. A ténue malícia do seu olhar cativou-me!
Sentou-se no lugar disponível mesmo ao meu lado. No meio da conversa e de alguns copos do meu adorado vinho tinto alentejano, fomos-nos aproximando, tocando afavelmente, provocando subtilmente. Até que posei a minha mão na coxa dele. Olhámo-nos de forma cúmplice e entendi que ele queria o mesmo que eu. Passei a mão pelo seu sexo e tive a certeza que me desejava.
Sobremesa... Perguntei-lhe se quer provar a minha e dei-lhe à boca uma colher do meu doce. Uma gota do recheio de chocolate escorre da colher para os seus lábios. Apeteceu-me lambê-los mas limitei-me a passar-lhes o meu dedo. A tensão aumenta, sinto a mão dele por debaixo da minha camisola e depois a descer para o meu rabo.
O casalinho estava à nossa frente a partilhar uma mousse qualquer na boca um do outro. Excita-me o erotismo dessa visão.
Entretanto o meu novo amigo levantou-se para ir à casa de banho e piscou-me o olho. Mensagem entregue.... fui atrás dele!
Tinha deixado a porta aberta. Entrei e senti as mãos dele a encostarem-me à parede. Senti os seus lábios e língua nos meus. Agarrou-me pelos cabelos de forma a inclinar o meu pescoço e lambeu-mo todo. De seguida agarrou os meus seios por debaixo do meu soutien e enquanto os acariciava vigorosamente, chupou os meus mamilos.
As nossas calças estavam desapertadas meio descidas, as nossas mãos exploravam o sexo um do outro. Queria a sobremesa mais desejada. Meti o docinho dele na minha boca! Delicioso! Não deu para saborear por inteiro porque ele pegou em mim, virou-me de costas e penetrou-me!
Não podíamos estar melhor quando de repente o meu outro amigo aparece ao pé de nós.
Pedi-lhe que nos beijasse aos dois e ele acedeu. Beijou e tocou o pouco do meu corpo que estava disponível. Percebi que também fez o mesmo ao meu parceiro mas como estava de costas não vi, apenas imaginei! Queria mais do que isso mas o espaço não dava para mais! Por isso o meu amigo ficou apenas a assistir ao culminar do nosso prazer.
Voltámos os 3 para a mesa. A nossa amiga percebeu logo o que se tinha passado. Só lhe disse que depois a compensávamos. Pedi ao empregado de mesa a conta com a maior brevidade possível porque estava indisposta. Boa desculpa! Não ficava bem dizer ao senhor que na verdade o que eu queria era mesmo ir rapidamente para o hotel mais próximo pedir um quarto para 4 pessoas e terminar o que tínhamos começado.
Estávamos no inicio da parte mais interessante, já tinha a chave do dito quarto e eis que toca o despertador. O toque é a música "Paciência" de João Pedro Pais e Mafalda Veiga.
Como em tantas outras ocasiões em que quero parar o tempo, a letra faz todo o sentido para mim. Embora não queira deixar este sonho por aqui, "A vida não pára"!
Tinha um novo dia à minha espera. Talvez o dia me proporcionasse uma surpresa e fizesse chegar até mim um " 4º elemento" que satisfizesse o(s) meu(s) desejo(s)!!!!

6 comentários:

carpe vitam! disse...

Minha linda, como os sonhos são velozes! Adorei o "docinho", és verdadeiramente deliciosa! Como gosto de te saborear...

QJ disse...

história deliciosa, fica-se à espera da sobremesa...

carpe vitam! disse...

sim, desta vez faço questão da sobremesa!!! Sobremesa, sobrecama, sobrechão...

Quimera disse...

Será q alguém me quer ajudar a terminar este sonho...? Aceitam-se palavras ou actos...

carpe vitam! disse...

ummmm, tu sabes que não resisto a uma provocação tua... mas tenho de conter os meus impulsos por agora, quero preparar-te uma surpresa irrecusável!
beijo quente, minha Quimera!

Anónimo disse...

necessario verificar:)