terça-feira, 8 de janeiro de 2008

ok, do you want something simple?


The Gift, Ok, do you want something simple?
 
Ok, eu admito, estou apaixonada. Apanhei-me a olhar para ele, só faltava babar-me, que nojo. Não me sai da cabeça a voz dele, que chatice. Há-de passar. Vou aproveitar para canalizar isto para o trabalho, a ver se me inspiro. É isso, vou concentrar-me no trabalho, vou-me disciplinar.Que merda, tinhas de ser comprometido? E ainda por cima com uma mulher tão dotada? Que bom para ti…

Ele tem um feitio complicado, demasiado possessivo, nunca iria resultar. É demasiado grande, se for todo proporcional, não deve dar jeito nenhum engoli-lo, já para não falar do sexo anal.
Mas por que é que eu estou para aqui a desdenhar? É só porque quero comprar…

Eu não preciso de ti. Tenho alguns amigos com quem posso contar, mas é claro que não vou falar disto a ninguém. Tenho o Zé. O Zé está sempre pronto, só precisa que lhe mude as pilhas periodicamente, satisfaz perfeitamente a minha vontade de sexo e não me pede explicações nem me rouba espaço nenhum a não ser na gaveta das meias.

Dou comigo a imaginá-lo dentro de mim e estremeço, sinto um pulsar forte no clítoris sempre que me imagino a tocá-lo. No outro dia estava em pleno orgasmo com o Zé e gritei o nome dele. Ainda por cima já me deu a entender que eu não lhe desagrado sexualmente. Nunca resultaria. Mas por que é que eu tenho de ser tão complicada? Por que é que não o convido para vir até minha casa e tiro as minhas dúvidas? Se ele é comprometido, não é com certeza problema meu. Quero-o, quero-o desesperadamente! Aqui, agora!!
Esquece, o que eu sinto não tem espaço para ser pelo menos agora. Não faz sentido, tenho coisas mais importantes em que pensar, não vou deixar que se transforme numa angústia.

Ok, eu gosto mesmo dele. Gosto do espírito. Gosto quando ele olha para as novidades com o entusiasmo de um puto, sem medo da mudança. Gosto da forma criativa como ele pensa. Gosto do sentido de humor peculiar, sempre bem disposto. Gosto dos olhos, gosto das mãos, do sorriso… Estar com ele era muito confortável antes de me ter apercebido desta paixão, agora é um desconforto enorme, pareço uma adolescente que não sabe o que fazer com o corpo. Isto tem de acabar a bem da minha saúde mental.
É por isso que não te vou dizer o que se passa comigo. Posso até nem conseguir controlar isto muito bem, mas não vou facilitar. Vou afastar-me de ti lentamente. Também acho que não precisas de mim, mas se precisares, sabes que podes contar comigo. Vou dar-te espaço. Vou esperar para ver. Saber que estás bem, que estás feliz, tranquiliza-me.

Ok, eu amo-o.

15 comentários:

QJ disse...

será que é assim mesmo?

carpe vitam! disse...

será?...

Noivo disse...

ui, temos desgarrada?:)

Viajante pelos Sentidos disse...

A paixão, a tesão, o amor... todos de mãos dadas... tem graça, já vivi uma situação semelhante.
Nostalgia...

Beijo viajante...

Viajante pelos Sentidos disse...

Ah!
E a música... 5 estrelas...

Ana disse...

Será que há cenas do próximo episódio?

Shelyak disse...

E não é que estas "complicações" nos estão sempre a perseguir? Não é que seja mau, nem bom, sei lá!!!
Mas sentimo-nos vivos, não é ?
Beijinhooooooooo :)

carpe vitam! disse...

Noivo, não teremos desgarrada nenhuma, isto é só um texto.

viajante, obrigada pelas tuas amáveis palavras, é sempre bom saber que alguém se identifica com o que escrevemos.

ana, não creio que existirão cenas do próximo episódio nesta história. Mas haverão com certeza outras histórias.

shelyak, é isso mesmo, estamos vivos, é bom que o sintamos, não é?

Shelyak disse...

Olá por aí ! :)
Obrigado pelo comentário ao post da monogamia, um dos meus preferidos, aliás razão pela qual lá está naquele grupinho. Falta ainda um outro, que também gostei bastante, sobre swinging.

Quanto ao que dizes no comentário, pois tens razão; uma coisa são as nossas fantasias e tudo o mais que vai na nossas cabecinhas; outra coisa são as suas consequências... a luta interna para passar à prática ou não, coragem para tal, a baralhação do querer e não querer...
Falando por mim, as coisas que por ali divago - naquele post e outros afins - são mesmo questões que acredito, apesar de, para isso, ter percorrido um caminho complicado...como se costuma dizer, as coisas fáceis não têm história... mas se me é permitido dizer... compensa, sem sombra de dúvidas!
ahahahahahah agora, punha-me aqui outra vez a divagar...:)))
E mais não digo, para já...
Abraço e beijitos que vos deixo! :)

RedLightSpecial disse...

Este crescer e decrescer do tamanho das palavras embalou-me...
Realmente, quem quer coisas simples?
:P
beijos red para ti!!

carpe vitam! disse...

muitas vezes, o mais importante é dito em letrinhas pequeninas, que custam a ler...

Rui Caetano disse...

Um texto cheio de sensações profundas. Adorei. Continua a saborear as coisas boas da vida.

Sleeping_Angel.69@Hotmail.com disse...

Orquídea

Orquídea
como és flor
sensivel
iluminada

Soletras
em teus sussurros
murmúrios
de eternidade

Orquídea
como és flor
amada
querida

Designas
em tuas pétalas
a brisa das estrelas
maresia de uma eterna Primavera

Orquídea
como quero
ser tua vida
florir
em tuas pétalas

de Francisco Marques

Pekenina disse...

Amar é isso mesmo: ficar bem porque ele/a está bem :)

carpe vitam! disse...

red light, para chegar à simplicidade é complicado...