sábado, 25 de fevereiro de 2012

man on man: fornecedor e cliente

2 men wrestling by PIB
sou só eu ou a diferença entre lutar e foder pode ser bastante ténue?

Tenho um fornecedor de longa data com o qual tenho vindo a estreitar relações comerciais por uma questão estratégica. Ele não é o cúmulo da competência, é um pouco trapalhão desorganizado, baldas e tangas, o que já me causou bastante stress por não cumprir prazos e perder negócios por falta de resposta atempada. Mas o trabalho dele tem bastante qualidade e bom preço, e é por isso que mantemos a relação, apesar de ainda termos muitas arestas a limar. Ele às vezes tira-me do sério, vem-me com muita lata e desculpas esfarrapadas e eu começo a mandar vir e ele está sempre na boa, a minimizar conflitos. Um dia destes, numa das nossas conversas, reparei o quanto ele é fisicamente interessante e não consegui evitar que a minha imaginação me levasse até um filme bdsm. Ele é grande e robusto, acabadinho de chegar ao clube dos quarenta, um olhar intenso, penetrante, umas mãos enormes, proporcionais ao corpo. Tem um arzinho sexy que eu creio que o salva em muitas situações. Imaginei-me a castigá-lo por ser tão insubordinado, com chibata de couro, a montá-lo e a chamar-lhe “you naughty, naughty boy!”, enquanto o fazia relinchar a cada chibatada… ai…

Tenho um cliente bastante interessante, com quem mantenho uma relação profissional muito produtiva. Muito elegante, educado, simpático, um esbanjador de charme. Tem uma voz… grave, quente, suave e aveludada… uma excelente voz para um anúncio a chocolate quente, daquele cremoso, ou um bom locutor de rádio, daqueles programas pela noite dentro. Mesmo ao telefone às vezes consegue arrepiar-me. Encantador, cuidado, uns olhos claros magnéticos, sempre a prender os meus, uma pele suave, impecavelmente barbeada. É daquelas pessoas sem idade definida, não é novo, nem velho. Acho-lhe piada porque vejo-o algumas vezes atrapalhado com algumas situações, mas tem humildade suficiente para assumir o que não domina e pede ajuda. Enfim, um exemplo de cliente para quem é um prazer trabalhar. Claro que também faço os meus filmes e sonho com ele, uma cena bem suave, um roçar de corpos eletrizante, uma dança exploratória… ai…

Uma vez estávamos numa reunião os três e mais uma vez, voltei aos meus filmes. Desta vez eu estava fora de cena e deixei os dois num palco de luxúria, enquanto assistia de camarote e binóculos.

Um é casadíssimo e pai de filhos, o outro tem filhos e é divorciadíssimo, mas tem namorada. Mais hetero é difícil, se bem que já apanhei alguns comentários que me surpreenderam de ambas as partes, ou então sou só eu a desejar.

O atrapalhado e o trapalhão, mas que bela combinação! Vou-me entretendo comigo até que me convidem para o palco, onde ficamos juntinhos, numa bela sanduíche em que sou o recheio e depois alternamos.

Mas os meus filmes servem apenas para tornar o mundo real mais colorido. Mantenho sempre a minha máscara profissional, sorridente e cordial, aparentemente imperturbável e absolutamente eficaz. Trabalho é trabalho, fantasias são... isso mesmo :)

28 comentários:

Alien David Sousa disse...

Deixa cair a máscara e toca a trabalhar...nada se consegue sem esforço e pode ser que dê frutos, vegetais como tomates, sei lá...pode dar tanta coisa. Eu quanto a mim deixava de sonhar e passava à acção. Não tens coragem? ;)

Kisses alienígenas

Alien David Sousa disse...

Qual era a provocação?!?! :O

DESIRE disse...

Hummm essa fantasia é bem interessante;)
Beijos prometidos

carpe vitam! disse...

Não se trata de coragem, trata-se de ter noção da realidade. A máscara permite-me sorrir para fora e rir às gargalhadas para dentro, sem isso seria muitas vezes impossível trabalhar e eu tenho de contribuir para a produtividade deste país!

creio que o Imp já te respondeu a isso da provocação, mas fica aqui novamente: http://provocame.blogspot.com/2010/02/provocadoras-colaboracoes.html

Desire, afinal não sou só eu! Beijo :)

Numenor disse...

Não achas o wrestling muito fingido? Coloca-os a apanhar azeitonas. Antiga Grécia style. Depois ouvem as palavras do filósofo.

carpe vitam! disse...

Ahahaah! Completamente! A luta livre parece mais uma desculpa para gajos que ainda não saíram do armário se poderem tocar e parecer muito machos, mas a greco-romana não fica atrás!
Não estou a ouvir filósofo nenhum...

Numenor disse...

Não estou a ver ninguém apanhar azeitonas...

Alien David Sousa disse...

"sem isso seria muitas vezes impossível trabalhar e eu tenho de contribuir para a produtividade deste país!"

LOL Temos todos mas como adoras provocações....

Já lancei um twitter dedicado à segunda parte do meu último texto. Ninguém se interessa pelo velho hidiondo, apenas sobre a minha orientação sexual lol

Saudações&kisses alienígenas

p.s não sei se os meus dois neurónios instáveis estão à altura, mas se me ocorrer algo, aí quem sabe?! ;)

carpe vitam! disse...

Numenor, deixa estar que eu apanho as azeitonas. E como-as. E guardo os caroços para a compustagem. Servicinho completo, vale? Agora podes filosofar. Assim como assim, os gregos também eram bastante dados a práticas homoeróticas...


Alienita, toda a gente percebeu que o ser hediondo estava mascarado, a cruz de plástico foi comprada num chinês de setúbal antes de ele subir à serra, tu é que estavas com uma touca alcoólica das festividades carnavalescas que fez com que os teus neurónios andassem a fazer piscinas etílicas no teu cérebro, pelo que estavam demasiado ocupados para juntar 2+2, quanto mais procurar explicações lógicas para as coisas. sim, eu li tudo e retive os pormenores, a resposta está lá, eu não li só a parte da resposta muito pouco convincente sobre a tua orientação sexual ;P

carpe vitam! disse...

Ah, quanto ao desafio, desde que não afogues esses neurónios criativos em substâncias duvidosas, estás mais que à altura! (e mesmo que o faças, sairá sempre coisa cómica, tenho a certeza!)

Numenor disse...

Faça o favor de apanhar os caroços e ofertá-los a Atenas, que a Grécia Antiga não é Vilar de Mouros.

Numenor disse...

Homoerótica? Era puro porno mesmo. Pura e dura. E dura, dura...

carpe vitam! disse...

Nop, os caroços são meus e semeio as oliveiras onde eu quiser e puder.
Porno puro, duro e duradouro? Bem bom! :)

Anónimo disse...

Estava a andar pelo escritório e reparo numa donzela a olhar para o chumaço que possuo dentro das calças, na zona púbica. Eras tu!
Num instante, reagiste ao que acabaste de ver com um pequeno sorriso e não evitaste em olhar nos olhos da pessoa que possui tal chumaço, eu. Reparei e pisquei-te o olho. De seguida, fui para a casa de banho libertar a tesão que provocas-te. Os teus seios, o teu pequeno sorriso, o teu olhar, que tesão de mulher que tu és!
Não venhas com tretas de que talvez és homem. Mentiras!

Al.

carpe vitam! disse...

ahahahaha! Talvez seja homem... talvez seja mulher, talvez seja ambos, talvez não seja nenhum. Mas donzela... ok, na tua imaginação, posso ser o que quiseres ;)

Anónimo disse...

Eu sabia que ia chamar a tua atenção ;)
Provavelmente donzela não seja o mais indicado visto seres por dentro uma autêntica safada! Perversa! Louca!

Adoro.

Al.

carpe vitam! disse...

ihihiihihih! Whatever turns you on... mas ainda assim, tu achas mesmo que eu seria mulher para me impressionar com "chumaços"?!? eu sorri porque estavas com a braguilha aberta e eu pude ver os teus boxers cor-de-rosa...

Anónimo disse...

Boxers que combinam com o teu soutien ;) o decote era tanto que deixaste o teu soutien espreitar...

Al.

carpe vitam! disse...

sim, é verdade (ó pra mim a corar) mas o decote não é assim tão grande, deves ter espreitado quando me baixei para apanhar as folhas que caíram... ;P

Anónimo disse...

ó pra mim a corar?! Esse acto de apanhar as folhas pareceu uma desculpa para avaliar-me de cabeça aos pés e para puderes com um pouco de segurança apreciar todo esplendor do meu alto chumaço!

Por hoje, termino.

Al.

carpe vitam! disse...

Oh, apanhaste-me! Mas reitero que "chumaços" não me impressionam. Como dizem os brazucas, "tamanho não é documento!" ;P

Anónimo disse...

Bom texto. Diferente, o que é sempre bom.



http://my-skin-and-under.blogspot.com/

carpe vitam! disse...

My skin and under, é isso que se pretende, diferenciação e pertinência na expressão de ideias, sensações, fantasias... ir ao fundo da pele e trazer o que se encontra cá para fora.

Deixa-me só acrescentar, Al, que antes de fazeres essa referência, eu não tinha olhado para "chumaço" algum. Isso está bem longe de ser o sítio que eu acho mais atractivo num homem. Pelo menos quando está vestido... ;)

Ser. Como. Agua disse...

Fantasias,...quem não a tem?
Tão bom divagar nelas.
Podemos ser de tudo a todos, a ninguém.

Uma espécie de Matrix,...cru,..vazio,..para onde fazemos o upload,...das pessoas, dos cenários,...onde deixamos o programa correr.

É estranho como nos deixamos levar,...pelas nossas fantasias,...como se fosse um filme,...quando sabemos perfeitamente que é a nossa mente a projectar tudo,...e que portanto,...nada é real.

Será que a fantasia tem como base um componente químico,... que seja tipo uma auto-droga?
Será que necessitamos de fantasias para funcionar bem?
Será que é um time-out do nosso brain?

Seja como for,...por norma as fantasias são agradáveis e são de coisas que andam na nossa mente; preocupam nos, interessam nos etc.

Creio que são algo que necessitamos,...e devem servir para algo. No meu entender,...um escapo...

Se for o escapo para o paraíso ou não,...CADA UM QUE FANTASIEI POR SI! :)

Quanto a esta em particular,...muito interessante!

carpe vitam! disse...

Gosto dessa analogia Matrix... no entanto, raramente faço upload a partir de um fundo branco. Normalmente, tenho um ponto de partida, neste caso duas pessoas que se cruzaram comigo. Pode ser um cenário, pode ser uma sensação, geralmente o ponto de partida é algo que existe na realidade que eu depois transformo como quero. Mas sim, são um escape, uma forma de viver o que na realidade é impossível... ou uma forma de antecipar mentalmente o que poderá acontecer ;)

GataHari disse...

Lovely este texto! E real, acredito! ;)

carpe vitam! disse...

Completamente real! Fantasias à parte, bem discriminadas, que entretanto têm vindo a desenvolver-se. um dia destes, o cliente chegou-se ao pé de mim para me dar unas indicações. eu à secretária, ele em pé, com o banzé que se passa naquela sala, ele inclinou-se ligeiramente, bem juntinho ao meu ouvido, que arrepio! Eu estava a esforçar-me imenso para ouvir o que ele dizia ao mesmo tempo que imaginava o fornecedor a penetrá-lo e ele a gemer-me ao ouvido, a respiração acelerada, o arrepio a descer espinha abaixo até ao sexo... enquanto tomava nota do que ele me ia dizendo. Não os gemidos, o trabalho. Entretanto, liga o fornecedor a perguntar se eu precisava de alguma coisa... nunca na vida ele me tinha ligado a perguntar tal coisa, geralmente eu é que ando atrás dele a pedir, mas consegues imaginar o que me apeteceu responder-lhe... em vez disso, fiz o meu sorriso de telefone mais profissional que consegui (atendo o telefone sempre com um sorriso, porque apesar de não se ver, nota-se na voz) e disse-lhe que estava tudo ok, não precisava de nada...
Mais tarde, vi-me na situação inversa, o cliente sentado e eu a inclinar-me sobre ele, por trás, juntinho ao ouvido... fácil imaginar o que me passou pela cabeça, não é? ;D

Anónimo disse...

tão bom deixarmo-nos envolver por essas fantasias!!!
Toque