sábado, 18 de fevereiro de 2012

diálogos (im)prováveis XVIII

Shameless, série 7, episódio 5

Why the fuck did you tell Carl?!
Because he loves her.
No, no, he doesn't! He just thinks he does!
He proposed to her!

What?
And he was gonna ask you to be the best man. You!
Oh, no, this can't be happening!
Just explain to him that it was all an accident.
How can I explain it to him when I don't even understand it myself?
Well, the damage is done.
So you better put a stop to the whole thing. It's for the best.
No.
But you can't like her. She doesn't... she doesn't even have a cock.
Maybe I just like people.
People with cocks.
Well, maybe I am confused and maybe me and Maxine are just mates... or maybe it's more than that.
How can it be?!
I don't know! I don't have all the fucking answers!
I just know... that when I'm with her, I'm not thinking man or woman... it's just... Maxine.
Maybe sexuality isn't one thing or another maybe it's something that's just shifting and moving. 
Fuck you!
What?! What? 
Fuck...you! I looked up to you. I thought you meant something. Because until I met you... I was a freak. I was disgusted with myself. But you showed me that I didn't have to be. You're a fucking traitor. 
It wasn't... It wasn't personal. I didn't mean to. 
But you did. And I loved you. And not in a "want to shag you all over the place" way. But just love! Just proper fucking love! But now I see you for what you are. A cunt.

28 comentários:

Pedro Ferreira disse...

Diálogo muito bem construído. Because until I met you... I was a freak!

carpe vitam! disse...

Também achei. "Maybe sexuality isn't one thing or another maybe it's something that's just shifting and moving." e adorei o "manchester's accent"! :)

O Rapaz! disse...

Muitos 'maybe's...

carpe vitam! disse...

creio que quando não se tem a certeza de alguma coisa, é bom manter várias hipóteses em aberto...

O Rapaz! disse...

Pois, se não nos conhecemos ponderamos as hipóteses e exploramos, esperando que no final tenhamos certezas do que somos.

carpe vitam! disse...

pois, terá de ser assim, por tentativas, errando e acertando, tentando fazer o mínimo de estragos possível pelo caminho :)

Ser. Como. Agua disse...

Que dialogo, que clímax,...que final!

Se calhar de facto não existem; heteros, gays ou bi´s.

Se calhar a nossa sexualidade não é algo estático.
Possivelmente,...a nossa sexualidade,...depende de facto,...da pessoa com quem estamos.

E mesmo estando com a mesma pessoa até,... o “timing” em si pode,...influenciar a nossa sexualidade!

De facto não devíamos pensar quadrado,...e eticar e catalogar pessoas,....como se fossem produtos nas prateleira de um supermercado.

No meu entender ninguém é 100% heterossexual ou homossexual.

Creio que todos, uns mais que outros, já sentiram atracção,... ou no mínimo o desejo de experimentar sexo,... com o alguém do mesmo (hetero a tentar gay/lésbica) ou do outro sexo (gay/lésbica a tentar “straight”).

Seja como for,...a mim ninguém me convence que a ideia nunca lhe passou pela cabeça :)

Podem-me dar as desculpas que queira,... que foi devido o que bebeu,... que foi só uma única vez,... que foi por causa disto ou daquilo,...pois, pois,...
É fácil é arranjar desculpas quando a conversa não convém !

E tal enfrentar o boi pelos cornos,...e auto-analisarem-se ?
Dissecando a vossa mente, o vosso ser,.... auto questionarem-se,....perante um espelho,...olhando para o fundo dos vossos próprios olhos,....e exigirem uma resposta honesta perante,...vocês próprios,....sem testemunhas. Desafio !

Atenção que estou a falar sexo puro,...algo diferente do amor.
Amor,...por norma inclui sexo.
O sexo não necessita de incluir amor.
O sexo entre duas,... ou mais pessoas,... pode se fundamentar no simples desejo de o praticar, partindo por norma da atracção,...ou pelo interesse de atingir um objectivo em comum,....como a realização de uma fantasia.

Claro que estes pensamentos, fantasias ou desejos são mais fáceis de admitir para uns do que para outros,...há uns que assumem com alguma facilidade, outros com muita dificuldade,...e depois há gente que leva as fantasias para o caixão.

E se chegamos a conclusão que a nossa sexualidade depende do facto do momento e da pessoa!
Como vamos classificar infidelidade?

Numenor disse...

Tem que se retirar o sexo desta equação. O sexo de género e o sexo de acto. Também se reconhecem almas. Fácil é banalizá-las. Rotulando-as.

Rafeiro Perfumado disse...

Gostava de saber qual destes intervenientes vai ter a maior conta para pagar em psiquiatria...

carpe vitam! disse...

ser.como.agua, creio que estás a falar de panssexualidade: http://pt.wikipedia.org/wiki/Pansexualidade
Kinsey tem uma escala interessante: http://2.bp.blogspot.com/_NU3sjv3wbj8/S2T_L7IkGwI/AAAAAAAAA9o/dzw-LZ1birg/s1600/escala_kinsey.gif

(fazes-me lembrar o livro da Laura Esquível "Como Água para Chocolate" :))

carpe vitam! disse...

Numenor, creio que sim, mas depois a forma como o fazemos é que difere. Fácil é fazer o que nos apetece e só depois reparar nas consequências.

Rafeirito, para quê, estás a pensar em abrir consultório? Havia de ser giro, um canito a dar consulta sobre identidade sexual... ahahaahaha!

Numenor disse...

O que é que estás para aí a falar? fazemos o quê a quem com facilidade de quê? Carpe! Explique-se!

carpe vitam! disse...

Então, Numenor, retirar o sexo da equação e reconhecer almas. Lê o que escreveste e depois a minha resposta, a ver se faz mais sentido.

Já agora, que número são vocês na escala de Kinsey?

Numenor disse...

Não faz sentido nenhum.. nada faz sentido.. que escala é essa??? Christ, o que se passa contigo?

carpe vitam! disse...

estás com alguma crise existencialista? Eu sugiro que fales com o Rafeiro, e lhe perguntes se ele sempre vai para a frente com a ideia do consultório... pelos vistos clientela não lhe faltaria. ;P

Numenor disse...

Aconselhas-me a falar com um rafeiro e eu é que preciso de psiquiatria?

carpe vitam! disse...

É. Acho que estás a precisar de um psiquiatra canino :)

By the way, sem dúvida que sou 2 na tal da escala ;)

Numenor disse...

Uma psiquiatra doggystyle...

Mostra-me lá essa escala!

Numenor disse...

Sou um 0. Mas ainda sou novo.

( Tinhas que puxar para a conversa a única escala em que me superas... coisa tão competitiva que és. Shame on you )

carpe vitam! disse...

Isso das fantasias que tens com psiquiatras e cães é contigo... mas podes sempre partilhar ;)

Quanto à escala, procura o link que enviei há uns 5 comentários atrás.

Numenor disse...

Como se não tivesse respondido ao raio da escala há uns 2 comentários atrás. Atrás. Bem atrás. Psiquiatra.

carpe vitam! disse...

isto não é nenhuma competição. Trouxe a escala para a conversa porque me pareceu extremamente pertinente.

e depois, se te esforçares um bocadinho, verás que existem muitas outras escalas em que realmente te supero... ;P

Numenor disse...

....

Esforçando-me....

......

Ná... népias.

carpe vitam! disse...

Ahahahaahaha! Isso é um problema grave de memória! é o que eu digo, tens de consultar o rafeiro!

Numenor disse...

Humm.. aquela escala da protecção civil que mede catástrofes?..

Ser. Como. Agua disse...

Escala de Kinsey,interessante!
Na verdade não conhecia!

Panssexualidade? Profundo.

Carpe, tu a nível 2 :)

1).Estas a falar nível de fantasias?
2).Estas a falar em relação ao que querias ou desejavas realizar?
3).Estas a falar em actos consumidos?

A que nível estou na escala Kinsey?
Queres resposta a qual dos 3 acima?
:)

As consequências da procura da nossa sexualidade? como por exemplo infidelidade,...

Para começar não acredito em monogamia.

Desde que sejamos sinceros connosco,... e que de facto,...os nossos actos,...sejam o resultado de uma verdadeira "busca",...para obter um auto-conhecimento da nossa sexualidade,...

Não há desculpa para uma traição,...mas se calhar seria uma justificação, merecedora de compreensão,...e quem sabe perdão,...só que isso nesse momento já não esta na nossa mão.

Quanto a traição em si.
Falando dos meus próprios sentimentos.

Há muito de separei a traição física,... da traição espiritual / emocional.

Se gostar mesmo muito da pessoa,...até conseguia viver com cornos!

Não deito tudo a perder por um acontecimento solitário, ou um conjunto deles.

Primeiro porque é muito fácil destruir,... e muito difícil de construir!

Em segundo lugar.
Se fosse eu a trair,...gostava de ser perdoado.

Então acho que devia dar,...o que eu quisesse receber,...como traidor,...seja conceder perdão!

Não podemos ter duas medidas e dois pesos,...para situações similares.

Não podemos ter um conjunto de medidas mais leves e mais fáceis para nós,... e depois ter outras medidas para quem julgamos!

Aquele que nunca pecou,...que atire a primeira pedra!

Desde que eu soubesse e sentisse que a pessoa gostava verdadeiramente de mim.

Não estou a falar em auto-convencer nos disso.

Mas por olhares, gestos, toques, etc,...entender,...que a pessoa em causa nos ama, nos quer.
E que aquilo foi um caso ou um acontecimento.

Mas,..não queria nunca, e não suportava nunca,...
Estar com alguém,...e saber que embora essa pessoa esteja fisicamente comigo (e não estou a a falar só de sexo),...mental/espiritualmente essa pessoa esteja/deseja outro.

Para mim a traição emocional, espiritual, sentimental tem muito mais peso, que a traição física.

A final,...o corpo é só uma carcaça,... interessante sim,...mas o que conta mesmo,...aquilo porque nós nos apaixonamos, e amamos, é o que reside dentro dessa carcaça!

carpe vitam! disse...

Sim, o Kinsey fez um trabalho notável nos EUA, foi pioneiro nos estudos sobre comportamentos sexuais, apostando forte na forma como os inquéritos eram feitos, de modo a que fossem fiáveis. E gess what, os americanos descobriram que afinal os seus comportamentos não eram assim tão diferentes da maioria. E o relatório sobre as mulheres foi completamente escandaloso, afinal não eram as donas de casa assexuadas que pareciam à primeira vista!

Eu sou 2 em atos consumados, mas acho o 3 muito mais simpático. Aliás, acho que a panssexualidade faz todo o sentido na teoria, pois sei que não existem apenas dois géneros, a fronteira não é assim tão demarcada e eu gosto da ideia de que o que interessa é a pessoa, independentemente de ter pilinha ou pipi. simplesmente na prática ainda não consegui testar completamente essa teoria por falta de experiência. Mas subscrevo as palavras do Numeror "ainda sou novo" ;)

Mas diz-me tu em que número da escala estás, em termos de fantasias e atos, que eu tenho curiosidade em saber!

Quanto à (in)fidelidade, não concordo inteiramente contigo. concordo com a parte de sermos sinceros connosco, mas também acho igualmente importante o sermos com as pessoas de quem gostamos. Há quem ache que "o que não sabemos não nos magoa", mas eu penso que é muito pior e uma grande falta de respeito vir depois a ser descoberto. Eu creio que tudo depende do tipo de relação que tiveres, do compromisso que assumiste. Nem todas as relações têm de ser monogâmicas. Mas quem é que, numa relação monogâmica de longa duração, nunca desejou estar sexualmente com outra pessoa? Isso é pior do que estar realmente? Acho que uma relação física (seja ou não traição) pode colocar em risco o corpo e por mais carcaça que seja, tem de ser protegido. e penso que a mente tem de ser livre para pensar o que quiser, eu nunca castro os meus pensamentos, tenho é muito cuidado com as minhas acções.

Alien David Sousa disse...

Num futuro não tão distante, o amor não terá sexo, raça, nada. Será apenas o sentimento entre duas pessoas que se entendem, que se sentem bem uma com outra e que a querem estar por perto para partilhar uma vida.

Saudações alienígenas