terça-feira, 2 de novembro de 2010

arrepia-me II - carmina burana

Lembras-te do anúncio do Old Spice? Esquece. Foi apenas a forma como a conheci e talvez por isso, não tenha reparado logo no seu verdadeiro valor.

Recentemente, lembrei-me de ouvir novamente, a propósito do que estava a escrever, e arrepiei-me. Como eu já tinha explicado aqui há uns tempos, este tipo de reacção pode ser interpretada como uma forma de medir a qualidade de uma experiência, neste caso, musical.

Quero convidar-te a ouvi-la comigo. A deixares-te tocar pelo som. Aceitas? Vá, põe os auscultadores, ou de preferência, liga as colunas do computador no máximo (se forem boas) e carrega no Play:



Começa pungente, num lamento, e diminui abruptamente o volume. O piano e o violoncelo mantêm o ritmo. Dramatismo latejante, já se sabe que quando menos esperarmos, vai explodir-nos nos ouvidos. A massa cantante descreve a personalidade da Sorte e de como somos afectados por ela. A tensão está toda acumulada, encurralada, não tem mais por onde fugir. De repente, acontece - Consegues senti-la? O subwoofer sopra, o ritmo é muito rápido, alucinante, triunfante; O coro de vozes funde-se com a orquestra, todos são um e o papel de cada elemento é fundamental para o resultado harmonioso que se pretende – uma verdadeira orgia musical.

Como eu gostava de fazer parte da orquestra a tocar tímpanos e fazê-los vibrar nos teus ouvidos…

Posts relacionados: arrepia-me... | libertação

15 comentários:

Imperator disse...

"Cantiones profanae cantoribus et choris cantandae"


som com picos ritmados, profundos, cadencia certa no momento certo

não me arrepia, mas a melodia tem a cadência perfeita.

tal como o anuncio, mostra uma tempestade a bater forte, mas também as tempestades têm os seus momentos de calmaria

http://pt.wikipedia.org/wiki/Carmina_Burana

http://www.das.ufsc.br/~sumar/perfumaria/Carmina_Burana/carmina_burana.htm

carpe vitam! disse...

Pois, por onde tu andaste, também eu andei!

Mas experimentaste ouvir bem alto, até conseguires tocar no som?

Vontade de disse...

Hum... gosto do som provocado por essa orgia musical. :P

Imperator disse...

não preciso de ter a música muito alta para a sentir

esta música sente-se muito bem pelas razões todas já ditas

Imperator disse...

é uma bonita orgia, não é Vontade

estás sempre à vontade para participar nela

Rafeiro Perfumado disse...

Conheceste-a dentro de uma onda ou em cima de uma prancha?

taniah disse...

a sorte somos nós que a fazemos.
e de todas as vezes que oiço esta magnífica música sinto um sentimento de posse, de fortuna, de determinação em mim que é obra.

M. disse...

E eu que durante muito tempo dizia Karl OFF...


lol

carpe vitam! disse...

Ahahaha, M, acabei de reparar que fiz o mesmo erro... e por estranho que pareça, o senhor, apesar de alemão, não é Karl, mas sim Carl.
já corrigi :)

Ulisses disse...

Lembro-me da carmina burana, ao vivo, no pavilhão atlântico...

...da força de toda a obra...

...e até do cheiro de patroleo e da nuvem ténue que havia no pavilhão, fruto das tochas que eram levadas pelo coro enquanto percorreu o pavilhão em procissão antes de subir ao palco...

Fa
Bu
Lo
So!

:)

carpe vitam! disse...

Oh, ao vivo deve ser infinitamente melhor! aí é que eu ficava com os pêlos todos eriçados, tipo choque eléctrico!
Deixo aqui este vídeo onde dá para perceber a grandiosidade do espectáculo e a reacção do público: http://www.youtube.com/watch?v=7HMQOX3h7ZI

Engonha McQueen disse...

Como é possível eu ter-me esquecido disto por tanto tempo?! arrepia sempre, de facto.

dermatologistested disse...

carmina burana é sublime! (não me ocorre dizer mais nada...)

Mario disse...

Concordo plenamente :) Eu fui um felizardo em poder participar na produção desta obra no pavilhão atlântico há uns anos e de cada vez que recordo arrepio-me todo

carpe vitam! disse...

que sorte! participar na produção a fazer o quê? Bem... imagino o impacto dos tímpanos no meu peito, algo do género do que sinto quando oiço os zés pereiras ao vivo...