quarta-feira, 2 de abril de 2008

Olhar... (4)

Continuação daqui
(…)
E agora?
Agora aguento-me à bronca! Por que é que decidi quebrar as minhas próprias regras! Tu aqui em minha casa… ainda vamos no nosso primeiro encontro…
Chegamos a casa, pouco mais de cinco minutos a pé. Soube-me bem o “passeio”, ajudou-me a pôr as ideias no lugar, a perceber o que é que podia acontecer naquela noite; tu acompanhavas-me ao meu lado, passo firme, decidido, até no teu andar sabias o que querias.
Entramos, as desculpas do costume pela não arrumação da casa, não te importaste, comentaste que em tua casa era a mesma coisa, é o que dá viver sem mais ninguém.
Levei-te para a sala, não era muito grande mas era espaçosa, não tenho muita decoração, o essencial para uma pessoa que vive só, e tem poucas visitas sociais. Sentaste-te no sofá, eu segui-te, estávamos agora pela primeira vez juntos, sozinhos, tu olhaste para mim, sempre com o teu olhar, profundo, penetrante, doce, meigo, eu olhei para ti, mas o meu coração batia a uma velocidade louca, a minha excitação era enorme, estávamos ali os dois tão próximos o desejo que brotava de mim era enorme, embora tentasse controlar, disfarçar, não queria que ficasses a pensar que…
Voltaste a beijar-me, da mesma forma intensa ternurenta, mas senti no teu beijo o teu desejo, sinto as tuas mãos percorrerem o meu corpo, dessa mesma forma, as minhas mãos tocaram no teu corpo, tocaram pela primeira vez, é intenso, sentir o teu corpo, a tua excitação sinto-a nas minhas mãos, sinto o teu coração a bater, tão acelerado como o meu, afinal não sou só eu que sinto este nervoso, esta excitação.
Finalmente os nossos corpos tocam-se, ainda que por cima da roupa, sinto o teu corpo junto do meu, continuamo-nos a beijar continuo a sentir as tuas mãos a percorrerem o meu corpo; percorrem-no como se quisessem o saborear, o meu corpo deixa-se ser saboreado…
Também eu saboreio o teu corpo, as tuas linhas, as minhas mãos sentem-te, tens um corpo magnífico para as minhas mãos.
Acalmamo-nos, as tuas mãos libertam o meu corpo, perguntas-me se tenho algo que se beba, claro que tenho, o que queres, pergunto eu. Tu pedes um simples copo de água, realmente a minha boca também está um pouco seca, a excitação seca-nos um pouco a boca.
Levanto-me, vou-te buscar o líquido pedido, aproveitando também para beber um pouco desse mesmo líquido.
Volto estás no mesmo sítio, olho para ti de lado, vejo-te de perfil, com o reflexo do candeeiro aceso, a luz é fraca, mas dá um brilho magnífico, voltas-te e olhas para mim, o teu olhar, esse olhar por que me perdi, essa olhar que me leva à loucura, que deixa o meu desejo louco.
Quero beijar-te, mas dou-te a água a beber, bebes com prazer. Pousas o copo, pegas na minha mão, sento-me junto de ti, voltamo-nos a beijar, desta vez, vais mais longe com as mãos, começas a despir-me.
Gaita! Nunca fui de sexo no primeiro encontro! Mas sinto-me capaz de o fazer, sinto confiança em ti, sei que nos podemos entregar.
Também eu começo a tirar a roupa, gosto de despir com calma, peça por peça, tirar prazer desse momento, beijar o corpo que se vai despindo.

Vejo que tu também o gostas de fazer…
Finamente ambos estamos nus frente a frente, o teu corpo é magnífico, muito melhor do que aquilo que imaginei.
(…)
continua aqui

19 comentários:

carpe vitam! disse...

bem, tu gostas de torturar o pessoal com montes de pormenores e fazes render o peixe e demoras imenso a história!
O mais interessante é que o sexo das personagens não foi revelado, dando liberdade os leitores de imaginarem o que quiserem. estou a adorar, quero ver como é que isto se vai desenrolar!

Anónimo disse...

Já me torturou. Vamos ao ancioso final
Julio135

muito querida disse...

bom, os vossos corpos juntos, sem roupa, hummmmmmmmm

...tb posso beber dessa água?


beijos escaldantes

QJ disse...

muito querida,

claro que podes beber dessa água, sabes bem que sim.

mas para beberes dessa água, tens de ter realmente sede para a beber...

tens realmente e verdadeiramente sede para beber na nossa água?

Bichinho disse...

Bem...encontros...beijo fantasma.

Lyra disse...

(De) escreves bem a sensualidade à flor da pele dos sentidos.

Até breve

;O)

Noivo disse...

é tão bom quando a surpresa é melhor que a expectativa!

luafeiticeira disse...

E mais? queremos mais...
Beijos da grande padeira de Aljubarrota.

QJ disse...

Ola Lyra, bem vinda ao nosso cantinho, espero que voltes

QJ disse...

sim Noivo, a surpresa ser melhor que a expectativa é bom, muito bom mesmo

QJ disse...

calma minha querida Lua, a história tem de ser contada com calma, para se ir saboreando cada palavra cada momento

Sleeping Angel disse...

e pá o calor dos corpos ja esta a chegar cá ao norte hi hi hi bjcas porten-se e vivam intensamente esse calorzinho delicioso

Casal Inviters disse...

Boa surpresa!:)
bjs
ines e filipe

cereja disse...

e se o copo não tiver importância nenhuma perto do que vinha escondido para quem sabe procurar?e se fosse lindo mas não trouxesse mais nada debaixo da pele?
E se fosse as duas coisas?

Adore disse...

Esta história está a ser uma grande provocação :p

beijo

carpe vitam! disse...

cereja, que belas questões, também me tenho perguntado isso. o corpo é sempre a primeira coisa que se vê,ou que se adivinha, mas realmente, se nãotrouxer nada debaixo da pele,o meu interesse termina aí.

O Sussurrar do Corpo disse...

Huuummm.
Beijo...

Magnolia disse...

O Edificio Magnolia voltou...Os inquilinos estão à tua espera.

Anónimo disse...

vocês são swingers?