segunda-feira, 3 de maio de 2010

provocação gratuita 66

"É erro vulgar confundir o desejar com o querer. O desejo mede os obstáculos; a vontade vence-os."

15 comentários:

Helel Ben Shahar disse...

Não sei até que ponto não será ténue a linha que separa o desejar do querer.

Não pode começar o querer no desejar? Não se misturam (causando-nos inúmeras dores de cabeça)? Poderão muitas vezes ser o mesmo, partilhar uma área cinzenta, embora a distinção que apresentas na citação deixe implícito que o desejo é mais efémero, sendo o querer uma certeza.

Hm... sinto-me provocado. ;)

Bom dia!

carpe vitam! disse...

Sim, creio que o querer pode começar no desejar, mas nem sempre, e muitas vezes a merda acontece por causa do querer sem desejo.

Nem sempre o que queremos é o que precisamos, mas é pelo menos uma forma de fazer prevalecer a vontade.

Fico contente por te sentires provocado. é essa a nossa missão :)

Helel Ben Shahar disse...

Querer sem desejo é enganar-se a si próprio.

Talvez, mas de que serve fazer prevalecer a vontade sem o querer? Lembraste-me Rolling Stones... "You can't always get what you want, but you might just find what you need"

Missão cumprida. ;)

Rei da Lã disse...

Ora vaí está!

Palavras de uma das mais brilhantes mentes portuguesas de todos os tempos!

Muitos anos à frente do seu tempo...

Língua Lasciva disse...

Desejava voltar, mas voltei mesmo porque quis.

Vim dar lambidinhas em todos!

carpe vitam! disse...

Hel, o querer é um impulso lascivo, por vezes obsceno, pornográfico - a versão hard core da vontade; o desejo é lírico, onírico, erótico, a versão soft e politicamente correcta da mesma vontade. são assim uma espécie de céu e inferno, opostos indissociáveis. a meu ver, pelo menos.

já dizia o Gide: "cada desejo enriqueceu-me mais do que a POSSE, sempre falsa, do objecto do meu desejo"... por isso tenho esta impressão que mais importante que possuir os objectos, é possuir a vontade!

O Jagger tinha toda a razão:
"you can't always get what you want
But if you try sometimes you might find
YOU GET WHAT YOU NEDD"!

Agora fiquei com a musiquinha...

carpe vitam! disse...

"you get what you NEDD" é giro...


Rei da Lã, e isso valeu-lhe (ao Herculano) o facto de ter imensas ruas por este Portugal fora com o nome dele... ;P

carpe vitam! disse...

Linguaruda, nada como a VONTADE querida e desejada!

lambidela boa...! :D
outra para ti :)

Helel Ben Shahar disse...

Indissociáveis, concordo, mas não sei até que ponto serão opostos. Talvez faces diferentes da mesma moeda, mas que se complementam. É perfeito quando o querer e o desejo convergem para o mesmo objecto.

Hm, Gide... sinto-me provocado outra vez. A posse pode ser ilusória, porém, é preciso admitir que é satisfatório, mesmo que se tenha consciência da ilusão, o alcance do objecto que se deseja.

Ficaste? só há um remédio, ouvi-la... ;)

carpe vitam! disse...

sim, desejo e querer - as duas faces da moeda da vontade.

sobre a posse... não digo que não seja satisfatória, especialmente quando é bastante desejada e quando o esforço da conquista é compensado, mas as expectativas teimam em ultrapassar a realidade.

Érica disse...

O desejo é mais forte que o querer, mas querer é mais verdadeiro que desejar. Muitas vezes desejamos o que não queremos ou queremos sem desejar...

carpe vitam! disse...

é capaz...

amèlie e juan disse...

de facto... nunca tinha pensado nisto... felizmente andam quase sempre de braço dado! :D

carpe vitam! disse...

nem sempre...

ROSINHA disse...

Exacto...