terça-feira, 14 de outubro de 2008

hot wet pink suede


Chega aqui. Deixa-me falar-te ao ouvido: quero-te toda! Deixas-me mimar-te? Começo devagar a descer pelo pescoço, a inspirar o teu cheiro a um milímetro da pele, a trincar a tua orelha até sentir a resposta. Beijo-te suavemente, demoradamente, nos teus lábios doces. Mordo-te o queixo e desço com a língua. Enrolada na toalha, és uma irresistível tentação. Posso despir-te? Deixa… desembrulho-te, a sorver o sabor quente do teu peito. Quero ter-te assim, nua, à minha mercê. Confias em mim?
És linda! O teu corpo é um instrumento delicado e único que eu toco todo, não deixo milímetro por tocar, e insisto onde sinto a resposta mais intensa. A minha boca perde-se nos teus seios, nas tuas axilas, no interior dos teus braços, faço-te cócegas com a língua e mordo suavemente a lateral do teu tronco. Adoro quando fechas os olhos e ris!
Contorno as tuas pernas, subo até ao interior das coxas e por lá me deixo ficar até suspirares… lindíssima.
Beijo a tua barriguinha e vou rodeando o umbigo. Suspiras. Arrepio-te?
Lambuzo-te as virilhas com a língua toda até à entrada do teu anusito e seguro-te as nádegas, até me pedires para entrar.
Mergulho em ti devagarinho, roço a face, o nariz, os lábios nas tuas profundezas.
Tão macia… carnuda, camurça rosa, molhada e quente, a deslizar por entre os meus dedos. Quero beijar todos os teus lábios. Beijo-os de facto, como se de uma boca se tratasse, e enterro a minha língua na maciez do teu interior. Beijas-me, ora com uma, ora com a outra boca, sorvo o teu sabor húmido de desejo, doce e salgado. Aperto o teu segredo com pequenas dentadas, mordo os teus lábios generosos, esfrego a minha boca em ti, o meu queixo, a minha língua, com força, em sintonia com o ritmo da tua respiração.
As minhas mãos passeiam-se pelo teu corpo, apertam-te os seios, as nádegas e todas as tuas partes redondas e carnudas. E gemes… sim, consigo ouvir a sinfonia que o teu corpo orquestra, que maravilha! E danças na minha boca, enquanto te sinto toda, a transpirar prazer. O teu sexo vibra, explode e brilha sob a minha boca, puxas-me o cabelo, prendes-me, apertas-me e eu liberto-te.
Lambo-te com ternura, como a uma ferida, até me dizeres para parar.
Adoro quando fechas os olhos e sorris… queres mais?
post relacionado: fondue de chocolate com sexo

13 comentários:

Nemogeleia disse...

Fiquei logo provocado pelo texto.

carpe vitam! disse...

é para isso que ele serve, fico contente quando atinjo o objectivo :) e já agora, que sirva de inspiração. Não que tu já não tenhas que chegue, mas pronto, acho que a tua "fartura" nunca se irá fartar... ;)

QJ disse...

ainda sinto o arrepio, e sinto uma vontade desmesurada de fazer correr a minha língua

carpe vitam! disse...

correr com a língua é bom, mas eu gosto mais de passear...

QJ disse...

é uma questão de palavras e de tempo, correr ou passear, no fundo o importante é mesmo o resultado ;-)

Doce Veneno disse...

Aiiii

Pois que esta foi uma grande provocação. Gostei muito.

Eu quero mais! Textos destes claro :P

QJ - Sê bem vinda escorpiana :D

O Sussurrar do Corpo disse...

Huuummm, um sussurro...

Shelyak disse...

Vivendo... em alta, como sempre :)

O_Silencio disse...

Delicia.....quase senti


Beijo....meu

Viola De Lesseps disse...

como so agora me provoscas-te?
Já não arredo pé daqui :)
Gostei deste cantinho. Quero mais...

Bjs

Viola

carpe vitam! disse...

viola, será por teres andado distraída?

Para quem quer mais, mais eu darei... quando me apetecer! :D

amèlie e juan disse...

que delicia de texto! fiquei com água na boca! :) uma água doce...

carpe vitam! disse...

amélie... é uma das minhas heroínas predilectas :)

http://provocame.blogspot.com/2007/10/pequenos-prazeres.html

http://provocame.blogspot.com/2008/05/ai-amlie-amlie.html

http://provocame.blogspot.com/2008/06/os-sons-do-prazer.html