quarta-feira, 3 de junho de 2009

unidade

aprendemos os nossos corpos sem pressas,
na descoberta de quem se está a conhecer.
deixámos a pele sussurrar desejos,
na insuportável vontade de fusão.
penetrei-te!
entrei por todos os teus orifícios,
dominei-te!

tinha de saber que te dou prazer,
para me poder submeter a ti.
dei-te o meu corpo,
deixei que tomasses conta dele.
saciei-te!

voltámos ao início,
nem dominadores nem dominados,
a saber que os nossos corpos já foram um.



reeditado a 10/08/2009, após um toque de um certo Samurai!
(arigatou gozaimasu)


18 comentários:

Miriamdomar disse...

Dizem que a união faz a força mas neste caso ,a união mantém a vontade da fusão e o tesão, claro!
;))

Érica disse...

O prazer encontra-se na entrega total de dois corpos e duas almas, os quais no augio do desejo se tornam um só corpo, uma só alma, um só ser.

Princesa_Da_Noite disse...

Quando a descoberta acontece, é que o acto de Amor acontece!
Bjs.
Princesa Da Noite

Black Angel disse...

wrong

carpe vitam! disse...

Então já agora, gostava de conhecer a tua versão...

Black Angel disse...

está perfeito
:)

Férias
um dia destes publico a minha versão, mas a tua está perfeita.

;)

amazing!
até copiei, mas só para levar comigo...

carpe vitam! disse...

oh sim, estou a ver que a tua opinião quando está de férias muda...

... ou então és outra pessoa!

Seja como for, boas férias!

Zatoichi! disse...

do itachimaste.

não devias, no entanto, ter reescrito o original pois os originais são sempre mais valiosos que as adaptações!

os originais são a ORIGEM, a IDEIA inicial, o GÉNIO criativo e deveriam ser sempre mantidos, quanto mais não seja para revelar a diferença entre o antes e o agora...

... se queres fazer justiça ao nome do teu blog... sê provocadora!...

... publica os dois e deixa os leitores julgarem por si!

Foxy disse...

Provocações salutares...queria também provocar...

beijo com pitada de pimenta

Felina disse...

Só assim eu entendo uma relação, sem dominados e dominadores numa dança de mutua provocação

beijinhos

carpe vitam! disse...

Zatoichi! Que não seja por isso, deixo aqui a versão original, mas se decidi alterar, foi porque achei que estava francamente melhor:

primeiro, aprendemos os nossos corpos sem pressas, na descoberta de quem se está a reconhecer.

deixámos a pele sussurrar desejos, até à insuportável vontade da fusão.

depois penetrei-te, entrei por todos os teus orifícios, dominei.
tinha de saber que confias em mim para te dar prazer, para depois me poder submeter a ti.

e dei-te o meu corpo, e deixei que tomasses conta dele até te saciares.

por fim, voltámos ao início, sem dominadores nem dominados, a saber que os nossos corpos já foram um.



Logo verei o filme...

carpe vitam! disse...

Foxy, logo tu que não tens dificuldade nenhuma em provocar... gostei do novo layout! O conteúdo, esse, sempre interessante ;)

carpe vitam! disse...

Felina, não quero com isto dizer que não se possa dominar ou ser dominado, o que me parece é que tem de haver um equilíbrio. Mas sim, a provocação tem de estar lá sempre :)

Sarah disse...

A Sarah gostou!
A Sarah também quer algo assim!
Vou provocar ali o meu menino... a ver se... nos fundimos num só...
Beijos doces

carpe vitam! disse...

Sarah, se queres saber a minha opinião, acho que fazes lindamente!
Boas... fundições! ;)

Érica disse...

Esta versão ficou ainda mais linda! Bjos

carpe vitam! disse...

Ériquita, gracias pela opinião, limitei-me a seguir uma sugestão e a juntar uns pózinhos, geralmente duas cabeças pesam melhor que só uma e conseguem fazer coisas melhores e mais bonitas.
beijinhos!

Otário disse...

muito bom, muito bom :)
desconheço a versão original.

uma relação baseada no desejo mútuo traz muito mais recordações na hora da despedida...