sábado, 28 de fevereiro de 2009

bye bye old layout, OLÁ FATIOTA NOVA!


Este era o aspecto do blog antes da mudança. O formato anterior andava a precisar de mudança urgente, e não poderia ficar apenas pelo aspecto, mas também nos conteúdos. Pretende-se um espaço mais abrangente, mais legível, mantendo a facilidade de utilização, mas mais personalizado e arrumado.
Estamos sempre disponíveis para acolher opiniões, sugestões e críticas.
Mantenham-se atentos, o Provoca-me!!!! tem mais um elemento e uma coisa podemos prometer: continuaremos a divertir-nos como temos vindo a fazer até aqui ou ainda melhor, e a tentar contagiar quem por aqui passa!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

doce pecado

Quero um doce, um doce que se derreta pelos meus lábios, que seja quente…

Até parece que me estou a fazer um anúncio, de um qualquer doce que por aí há.

Quero sentir o seu cheiro, deixar-me embriagar pelo seu cheiro intenso, imaginar o sabor que tem mesmo já o tendo saboreado tantas vezes.

Quero sentir o seu toque junto dos meus lábios, a sua lisura e sua espessura.

Quero que te derretas dentro de mim, quero ficar a saborear-te pedacinho a pedacinho…




domingo, 8 de fevereiro de 2009

JOGO DE CARTAS


- Vamos jogar às cartas?

- Às cartas? Olha que isto não é nenhum casino!

- Pois, não é… e ainda bem… eles iriam ficar um pouco aborrecidos com a minha ideia de jogo de cartas.

- Desculpa? Não percebi essa.

- Então, tentando explicar a ideia: um baralho com 40 cartas, porque o jogo é tipicamente português, até ao máximo de cinco jogadores. Cada jogador recebe três cartas, e depois receberá mais duas. Um embaralha, outro parte, outro dá, e por fim o primeiro a receber as cartas, escolhe o naipe que servirá de trunfo. Todos começam com um valor definido base, por exemplo, e tendo em conta a ideia que tenho em mente, é melhor todos começarem com oitenta pontos, o objectivo é chegar a zero.

- Oitenta pontos, isso é muito!

- Não é não, o que vamos fazer é adaptar o jogo do sobre e desce. As regras são estas: começamos com os oitenta pontos, copas dobra e paus todos são obrigados a ir a jogo. Depois, vamos à parte gira das regras, cada vez que um jogador lerpe (não faça nenhuma vaza) tem que tirar uma peça de roupa, portanto, é conveniente que todos tenham o mesmo número de peças de roupa. A peça a tirar é à escolha do jogador que perdeu (e claro sobe os respectivos pontos) pode ser um sapato, uma meia… por aí fora. - Mas, e quando se ficar sem roupa? - Éh! Éh, então, a partir daí, o perdedor passa a sofrer castigos imaginados pelo jogador que tenha feito mais vazas, como por exemplo, dar um beijo num outro jogador, agora tudo dependerá dos jogadores e da imaginação deles, em caso de haver mais que um jogador com vazas iguais, em conjunto decidem o castigo a aplicar ao lerpado ou lerpados. É verdade, nas copas, como são a dobrar, havendo lerpanço… terá de se tirar duas peças de roupa… quando for o castigo… bem, ser-se-a misericordioso e aplica-se somente um castigo. Mas tem de ser um castigo maior! Julgo que não me esqueci de nenhuma das regras extra, de resto o jogo segue as regras tradicionais: o jogador que sai, se tiver o Ás da mesa terá de o jogar obrigatoriamente, é obrigatório assistir ao naipe jogado (excepto quando não tiver, nessa altura então ou corta ou “balda-se” jogando uma carta de um qualquer naipe). Por fim, o jogador que chegar a zero, recebe um prémio final já pré estabelecido.

Então… vamos jogar?


Provoca-me!!!