sábado, 20 de agosto de 2011

carpe somnium [18]

continuação daqui | início

Já estou tão embriagada de prazer que não sou capaz de distinguir pormenores, onde acaba um corpo e começa o outro? Tento esforçar-me por aproveitar cada momento com todos os sentidos, este sonho não irá durar para sempre, quero guardá-lo numa memória viva.

Olho para o espelho do tecto. Consigo sair de mim e ver os nossos corpos entrelaçados, a entrarem uns nos outros. E finalmente percebo que fomos desenhados para isto, dar e receber, pena que nem toda a gente o perceba.

Não sei bem definir o que se está a passar aqui, faltam-me palavras. Poesia sexual, talvez. SUPERCALIFRAGILISTICSEXPIALIDOUCIOUS! Sinto-me uma Mary Poppins hard core! Tudo o que eu possa escrever é apenas um tosco esboço da minha realidade sonhada embebida em imaginação delirante. Todos os meus sentidos estão mais apurados que nunca, isto não é real, é hiperreal, surreal, inacreditável! Não sei o que é isto que sinto, mas sei que é bonito e bom de se sentir. Não tenho a mínima intenção de vos dizer que quero ficar assim para sempre, nem de vos jurar amor eterno, só quero aproveitar o momento ao máximo.

O Fortuna,
Velut Luna
Statu variabilis,
Semper crescis
Aut decrescis;
Vita detestabilis
Nunc obdurat
Et tunc curat
Ludo mentis aciem,
Egestatem,
Potestatem
 Dissolvit ut glaciem.
Sors immanis
Et inanis,
Rota tu volubilis
Status malus,
Vana salus
Semper dissolubilis,
Obumbrata
Et velata
Michi quoque niteris;
Nunc per ludum
Dorsum nudum
Fero tui sceleris.

Sors salutis
Et virtutis
Michi nunc contraria
Est affectus
Et defectus
Semper in angaria.
Hac in hora
Sine mora
Corde pulsum tangite;
Quod per sortem
Sternit fortem,
Mecum omnes plangite!

falta só mais um bocadinho...

4 comentários:

especiedemagia disse...

e importavas-te de ficar ali para sempre ?

e não existe tradução aqui para o ignorante, da parte em latim ?

carpe vitam! disse...

como eu digo, não pretendo ficar assim para sempre, acho que nem sequer tenho o direito de o pedir e entendo o que torna o momento ainda mais precioso é precisamente o facto de ser isso mesmo, apenas o momento. etéreo, na fragilidade do tempo, mas que pode durar para sempre preservado numa memória.

quanto ao latim, não é nada que o google não te possa dizer, mas eu posso ir já dando pistas para o que se vai passar na próxima (e última parte) desta história:
http://provocame.blogspot.com/2010/11/arrepia-me-ii-carmina-burana.html (atenta no comentário do Imperator, tens lá a resposta que procuras)

especiedemagia disse...

encontrei

fortuna imperatrix mundi
carmina burana

com tradução e tudo

gracias aqui do je

carpe vitam! disse...

you're welcome ;)