domingo, 30 de setembro de 2007

Mafalda Veiga e João Pedro Pais: ''Paciência''

Porque pediste e porque queremos dedicá-la ao teu quarto elemento, aqui vai:

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma,
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma,

A vida não pára...

E quando o tempo acelera e pede pressa
Eu recuso, faço hora e vou na valsa,

A vida é tão rara...

Enquanto todo mundo espera a cura do mal,
E a loucura finge que isso é normal,
Eu finjo ter paciência...

O mundo vai girando cada vez mais veloz,
A gente espera do mundo e o mundo espera de nós
Um pouco mais de paciência...

Será que é tempo que lhe falta pra perceber,
Será que temos esse tempo pra perder,
E quem quer saber?!

A vida é tão rara... tão rara...

Mesmo quando tudo pede um pouco mais de calma,
Até quando o corpo pede um pouco mais de alma,

A vida não pára...
A vida não pára não...

Será que é tempo que lhe falta pra perceber,
Será que temos esse tempo pra perder,
E quem quer saber?!

A vida é tão rara... tão rara...

A vida é tão rara.

O Quarto Elemento

Adoro aqueles minutinhos ao acordar em que estou meia a dormir meia acordada. Nessas alturas acontece-me sentir que estou a ver um filme em que posso escolher algumas cenas e, ainda melhor, posso escolher o final do filme. Por vezes não sei se foi sonho ou pensamento. Esta manhã tive um sonho, chamemos-lhe assim, bastante excitante.
Estava num restaurante com um casal íntimo numa mesa para 4 pessoas. Chega então o 4º elemento. Não o conhecia de lado nenhum, era uma surpresa dos meus amigos.Cumprimentou-me com dois beijos e posou levemente a mão na minha cintura. Senti-me imediatamente atraída por ele. A ténue malícia do seu olhar cativou-me!
Sentou-se no lugar disponível mesmo ao meu lado. No meio da conversa e de alguns copos do meu adorado vinho tinto alentejano, fomos-nos aproximando, tocando afavelmente, provocando subtilmente. Até que posei a minha mão na coxa dele. Olhámo-nos de forma cúmplice e entendi que ele queria o mesmo que eu. Passei a mão pelo seu sexo e tive a certeza que me desejava.
Sobremesa... Perguntei-lhe se quer provar a minha e dei-lhe à boca uma colher do meu doce. Uma gota do recheio de chocolate escorre da colher para os seus lábios. Apeteceu-me lambê-los mas limitei-me a passar-lhes o meu dedo. A tensão aumenta, sinto a mão dele por debaixo da minha camisola e depois a descer para o meu rabo.
O casalinho estava à nossa frente a partilhar uma mousse qualquer na boca um do outro. Excita-me o erotismo dessa visão.
Entretanto o meu novo amigo levantou-se para ir à casa de banho e piscou-me o olho. Mensagem entregue.... fui atrás dele!
Tinha deixado a porta aberta. Entrei e senti as mãos dele a encostarem-me à parede. Senti os seus lábios e língua nos meus. Agarrou-me pelos cabelos de forma a inclinar o meu pescoço e lambeu-mo todo. De seguida agarrou os meus seios por debaixo do meu soutien e enquanto os acariciava vigorosamente, chupou os meus mamilos.
As nossas calças estavam desapertadas meio descidas, as nossas mãos exploravam o sexo um do outro. Queria a sobremesa mais desejada. Meti o docinho dele na minha boca! Delicioso! Não deu para saborear por inteiro porque ele pegou em mim, virou-me de costas e penetrou-me!
Não podíamos estar melhor quando de repente o meu outro amigo aparece ao pé de nós.
Pedi-lhe que nos beijasse aos dois e ele acedeu. Beijou e tocou o pouco do meu corpo que estava disponível. Percebi que também fez o mesmo ao meu parceiro mas como estava de costas não vi, apenas imaginei! Queria mais do que isso mas o espaço não dava para mais! Por isso o meu amigo ficou apenas a assistir ao culminar do nosso prazer.
Voltámos os 3 para a mesa. A nossa amiga percebeu logo o que se tinha passado. Só lhe disse que depois a compensávamos. Pedi ao empregado de mesa a conta com a maior brevidade possível porque estava indisposta. Boa desculpa! Não ficava bem dizer ao senhor que na verdade o que eu queria era mesmo ir rapidamente para o hotel mais próximo pedir um quarto para 4 pessoas e terminar o que tínhamos começado.
Estávamos no inicio da parte mais interessante, já tinha a chave do dito quarto e eis que toca o despertador. O toque é a música "Paciência" de João Pedro Pais e Mafalda Veiga.
Como em tantas outras ocasiões em que quero parar o tempo, a letra faz todo o sentido para mim. Embora não queira deixar este sonho por aqui, "A vida não pára"!
Tinha um novo dia à minha espera. Talvez o dia me proporcionasse uma surpresa e fizesse chegar até mim um " 4º elemento" que satisfizesse o(s) meu(s) desejo(s)!!!!

sms, com prazer!

eu, 00:33
Estava aqui a pensar numa forma de apaziguar este fogo… tens gelo?

Ela, 01:14
Sim, tenho gelo em casa, só não tenho quem me ponha em brasa

eu, 01:15
Eu posso tentar… quem me dera estar aí ctg… Beijar cada milímetro do teu corpo, demorando-me mais na tua boca, no teu pescoço, nos teus seios… Sentes o meu calor?

Ela, 01:23
Começo a sentir… A tua pele macia a deslizar pela minha, os teus seios a tocarem os meus…

eu, 01:27
Quero ver-te vibrar… vai buscar o nosso amiguinho, quero tocar-te toda com ele


Ela, 01:28
O nosso amigo está em casa. Mal posso esperar p o meter dentro de mim!

Ela, 01:29
Estou a caminho de casa. Tenho a minha mão dentro das calças imaginando que é a tua

eu, 01:31
Sente-me a respirar no teu pescoço, sente-me a roçar o meu corpo no teu…

Ela, 01:35

Lambe, são todas tuas!

eu, 01:38
Tão bom! Sabe tão bem! Adoro as tuas mamas! Adoro o teu sabor, deixa-me provar…

Ela, 01:40
Já sinto a tua língua…

Ela, 01:43
É tão bom imaginar o teu prazer! Os teus suspiros meio gemidos…

eu, 01:45
Não precisas de imaginar: é real! Eu estou contigo…

eu, 01:46
Ummmm… vem-te para mim!

Ela, 01:47
O nosso amigo sabe tão bem. Queria ter um de carne p entrar dentro de ti…

eu, 01:49
Que bem que sabe, imaginar-te dentro de mim! Imaginar-me dentro de ti!

Ela, 01:52
Estou quase

eu, 01:55
Penetra, penetra fundo, com ímpeto, com força, com jeito, como tu gostas!

Ela, 01: 56
Hum… foi bom!

Ela, 01:57
Estas a gostar? Eu continuo a beijar-te! TODA…

eu, 01:59
Oh, sim! Estás a arder? Queres mais? Vai buscar o gelo porque vai ser melhor!

Ela, 02:00
Hoje n, estou bem assim!

eu, 02:02
Ok, então fica bem, bons sonhos, continuamos para a próxima!

Ela, 02:03
Bons sonhos p ti tb. Beijos!

10 Set. 2007

sexta-feira, 28 de setembro de 2007

A minha primeira aventura (1ª parte)

(sexta-feira à noite)

Era um dia de primavera, uma sexta-feira, não me lembro bem de que mês, mas até estava um dia muito agradável, o tempo estava quente, e era bem convidativo a vestir umas roupinhas leves e frescas, e ao fim da tarde depois de um dia de trabalho ir até uma esplanada à beira mar era muito bom.

O dia foi um pouco complicado, logo hoje que tinha coisas combinadas para a noite, um jantar romântico e um fim-de-semana longe de casa. Mas no trabalho alguém se lembrou que numa sexta-feira à tarde era dia de trabalhar pela semana inteira e de repente o trabalho avolumou-se na secretária, mas consegui despachar as coisas e sair do trabalho não muito para lá da hora normal (só me safei uma hora depois).

Lá fui eu para casa a correr, e ainda tive de passar pelo supermercado para comprar umas coisitas urgentes que me faziam falta.

Tomei um belo banho, embora fosse um belo banho a correr pois eu já estava a ficar sem tempo, e tinha o jantar combinado no restaurante para as 20.30.

Tomei banho, produzi-me tanto quanto pude e arranquei. Finalmente cheguei ao restaurante, são 20.50, o atraso não foi muito grande.

Jantamos os dois juntinhos num canto do restaurante, era agradável aquele restaurante, não tinha muita gente, e a comida estava soberba. Dali saímos e fomos ao cinema ver um filme que tinha estreado por esses dias, era um filme engraçado, para início de noite não estava mal.

Eu sabia que ia haver uma surpresa, mas não sabia bem qual, tinha trazido comigo uma pequena mala com roupa para o fim-de-semana, e depois do filme arrancamos um pouco para o “desconhecido” não sabia para onde ia, mas uma “aventura” no desconhecido parecia-me ser interessante.

Afinal, não fomos assim tão longe, estávamos pouco mais ou menos 30/35 quilómetros de casa, mas estávamos suficientemente longe de casa, chegamos a uma pequena moradia, simpática com um R/C e um sótão (pensava eu) que afinal eram umas águas furtadas e era onde estava o quarto onde íamos ficar.

O quarto estava à meia-luz, era muito agradável, e depois de um dia cheio de trabalho aquele quarto era o lugar mais acolhedor do mundo e estando na companhia da minha cara metade, aquele lugar era sem sombra para qualquer dúvidas o lugar mais seguro do mundo.

(…)

Deitamo-nos, senti as mãos no meu corpo, estremeci por completo, hummm, umas belas massagens agora vinha mesmo a calhar… e não é que tenho direito a elas, um cheiro perfumado corre pelo meu corpo, é um óleo com essência de, parece-me, canela, bem ao certo já nem sei muito bem, os meus sentidos estão ligeiramente deturpados, sei que o cheiro é muito agradável, e as massagens ainda melhores, hummm tão bom, sabe mesmo bem sentir o nosso corpo ser massajado por umas mão assim tão firmes e que sabem exactamente onde nos tocar, acho que a melhor coisa que pode haver é mesmo uma massagem feita pela nossa cara metade, sabe sempre onde nos tocar, é estimulante, é um prazer enorme.

Depois de trocarmos umas carícias, que não foi mais que isso, acabei por adormecer, muito leve, e só me lembro de um beijo de boas noites, e a pensar cá para mim… que bela surpresa (mal eu sabia que a surpresa ainda estava para chegar)

(…)

2ª Parte

3ª Parte

4ª Parte

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Para aquecer

video

Shakira, Las de la intuición

Antes que pensem que ando a tomar drogas, eu adianto que nunca precisei disso para delirar.
Estava com frio e lembrei-me o quanto a Shakira me fez transpirar este verão. Por isso fui resgatá-la ao You Tube, tal como fiz naquela noite, em que tomei um duche frio e ainda fiquei pior, lembram-se?
Agora serve para me aquecer, deixo-a antecipar a noite de amanhã.
Ai, Shakira, Shakira, que grande provocadora tu me saíste…
Não há dúvida, as mulheres são mesmo as da intuição :-)

Atracção

Força ilimitada, positiva, magnética.
Energia total, a pulsar, a fluir por todo o lado.
O poder de criar atracção está em ti e em mim.
É uma lei universal.
Por isso estou aqui, a expressá-la, à procura do melhor caminho.
Andamos todos à procura do mesmo, de modos diferentes.
Estamos todos ligados, não sentes?
Consegues sentir-te?
Sentir-me?
Consciencializa-te.


imagem: yin yang

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

A primeira vez




Lembro-me nitidamente, estava a acabar de adolescer.
Nove e tal da noite, num desses cybercafés que floresciam na altura, com umas colegas.
Windows 95, mIRC, que coisa tão arcaica, ainda não tinha feito amizade com os computadores.
Fireworks foi o que mais me despertou a atenção e toca a meter conversa.
Escrevi qualquer coisa como: “Fireworks, que bom! Estou mesmo a precisar de efervescer!” A partir daí desenrolou-se o típico “De onde és, como te chamas, que idade tens, o que fazes” disso só me lembro que eu tinha o mesmo nome que um antigo amor. Depois silêncio. Ou melhor, vazio. Nem uma letrinha mais. O arcaico modem 56 Kb decidiu pregar-nos uma partida e perdi o contacto.
Foi um encontro muito breve com o desconhecido. O primeiro. De muitos. Mas nunca me esqueci deste porque foi o primeiro. Nunca mais me esqueço daquela excitação pueril que me levava sangue a galopar pelo corpo, os dedos atrapalhados à procura das teclas certas, a impaciência…

Quero voltar a sentir o que senti. Mas de uma forma mais calma e consciente. Quero aquela sensação intensa de desbravar o desconhecido, quero que deixe de o ser para se tornar agradavelmente familiar. Agora estou muito mais exigente e não me contento com pouco. Quero aprender, quero melhorar. Quero rir, quero chorar, quero sentir com todos os sentidos. Quero tudo, e estou na disposição de retribuir.

Onde estás tu, Fireworks? Estou a precisar de efervescer… outra vez.

terça-feira, 25 de setembro de 2007

desafio para TI e para mim

TU,
que me lês passivamente,
cuja exigência ainda não está satisfeita
para provocar uma reacção,
isto é para TI:
Deixa-me agarrar-TE,
sai de dentro de TI.
E agora olha-me.
Olha-TE.
Conta-me o que vês.
Quero saber o que pensas e o que não pensas.
Não tenho a mínima pretensão de provocar toda a gente,
mas quero provocar-TE.
A TI, só a TI.
Tem de ser.
Estou longe? Só porque TU o permites…
Não me votes a essa TUA indiferença!
Dá-me a TUA faísca.
Ousa.
Experimenta.
Experimenta-me.
Experimenta-TE.
PROVOCA-ME!!!


imagem: Retrato, por Ryan Terry

Pointer Sisters - I'm so excited



Tonight's the night we're

gonna make it happen
Tonight we'll put all
other things aside
Within this time and show
me some affection
We're going for those
pleasures in the night

Bridge
I want to love you, feel you,
wrap myself around you
I want to squeeze you,
please you, I just can't
get enough
And if you move real slow
I'll let it go

Chorus
I'm so excited
And I just can't hide it
I'm about to lose control
And I think I like it

I'm so excited
And I just can't hide it
And I know, I know, I know, I know
I know I want you

We shouldn't even think about tomorrow
Sweet memories will last
a long long time
We'll have a good time
baby don't you worry
And if we're still
playin' around boy that's
just fine

Chorus II
Let's get excited
We just can't hide it
I'm about to lose control and
I think I like it

I'm so excited
And I just can't hide it
I know I want you, I want you

Piano Solo (...)

Bridge
I want to love you, feel you,
wrap myself around you
I want to squeeze you,
please you, Oh, I just
can't get enough
And if you move real
slow I'll let it go

Chorus* I'm so excited
And I just can't hide it
I'm about to lose control
And I think I like it

I'm so excited
And I just can't hide it
And I know, I know, I know, I know
I know I want you, want you

Chorus II
Move closer to me
You've got me burnin' up
Oh oh oh oh oh!

I get too carried
I got to give it up
Oh oh oh oh oh!

Chorus I over Chorus II (TWICE)*

Do You Get Excited?

video

Um cheirinho a adolescência:

"When the day gets dark / Over a thousand streets / And you feel your heart / Is a living beat When you're all alone / And you close your eyes / Naked to the bone / The dream comes alive
Do you get excited / When I touch you in the night? / My oh my... / Do you get excited / When I meet you every night? / You won't let the night pass you by

When your body's hot / The window's open wide / This moment's all you got / In this race of life
When you feel the fire / Is getting close to you / Hey baby, you know / I'm lonely too

Do you get excited / When I touch you in the night? / My oh my... / Do you get excited / When I meet you every night? / You won't let the night pass you by

I wanna know!

I gotta know!!"



Roxette, (Do you get) Excited

Bi...???

Houve um tempo em que pensava que a bissexualidade implicava sentirmos-nos atraídos exactamente da mesma forma por homens e mulheres. Como eu me sinto extremamente atraída por homens, as mulheres estavam completamente postas de parte.
Até que um dia alguém me começou a fazer pensar em como seria se me envolvesse com uma mulher. Não vou dizer que a ideia nunca me tinha passado pela cabeça. Contudo, nunca tinha dado muita importância à mesma. Para ser sincera, tinha curiosidade mas achava que não iria gostar da experiência.
No entanto, quando a situação se proporcionou, a minha reacção foi tão natural como se se tratasse de um homem. Do primeiro beijo a um envolvimento sexual foi uma questão de minutos (talvez segundos). Havia um homem no nosso meio e eu quase não conseguia distinguir o prazer que cada um me proporcionava. Talvez por isso me sentisse um pouco confusa. Tive que repetir a experiência (umas quantas vezes!!) para ter a certeza que realmente uma mulher me podia excitar e dar prazer.
Um beijo é sempre um beijo independentemente de quem o dá. Afinal qual a diferença entre entre a língua de um homem ou de uma mulher no nosso corpo?
No texto do QJ entendo os olhos vendados como uma metáfora, como uma forma de dizer que se não fosse o aspecto físico, se não existissem preconceitos em relação à homossexualidade, então talvez o sexo da outra pessoa realmente não fosse tão importante.
Por outro lado, se virmos a questão de acariciar, tocar, beijar alguém do mesmo sexo a perspectiva também pode ser bem interessante. Para alguém que gosta de dar prazer, tocar um corpo "igual" ao nosso faz-nos sentir que esse corpo é uma extensão do nosso. É como dar prazer a nós mesmos porque reconhecemos os pontos sensíveis do outro, porque percebemos as suas reacções. Parece que somos nós que estamos a sentir tudo!
Apesar desta visão tão bonita das mulheres, continuo a preferir os homens. Julgo que não sentiria muita necessidade de voltar a estar com uma mulher.Se estiver, óptimo, senão não irei perder o meu sono por causa disso. Já a ideia de não voltar a estar com um homem está completamente posta de parte. Outro aspecto curioso é que nunca me apaixonei por uma mulher. Se me perguntarem a minha orientação sexual, não saberei o que responder. Apenas sei dizer que sou uma mulher que gosta de sexo!
Então e vocês, já tiveram uma experiência deste género? Partilhem connosco! E os que não experimentaram, não ficam curiosos? Se entretanto experimentarem contem-nos tudo com detalhes :-)
Provoquem-nos!

Saborear...

video
... o meu gosto nos teus lábios!

domingo, 23 de setembro de 2007

Uma noite diferente

Estava eu a chegar ao meu quarto num hotel de segunda categoria, mas mesmo assim aceitável, depois de ter vindo de algum sítio que não me lembro donde, mas só sei que vinha de fato e gravata e tinha vestido propositadamente umas cuequinhas de “fio dental” muito giras que dias antes havia comprado no SexShop, pois uma coisa era certo estes dias que iam agora começar, embora já tivesse havido um prelúdio uns dias antes quando havia chegado mais a minha namorada; como eu ia dizendo, cheguei para ir ter com ela, a minha ideia era passar uma noite romântico-porno-sexual, mas, nunca pensei em ter a surpresa que ela me fez! E assim foi abri a porta do quarto e dei-lhe um beijo, e foi quando ela me disse que tinha uma surpresa para mim, passando-se de imediato para trás de mim, coisa que eu estranhei confesso, a estando atrás de mim vendou-me fazendo prometer que acontecesse o que acontecesse nunca tiraria a venda, e eu como sou um menino bem mandado concordei com o pedido. Depois pegou-me pela mão e levou-me para um dos aposentos do sítio onde estava, que embora fosse um hotel de segunda categoria tenho que admitir que o dito cujo quarto era mais do que isso pois tinha até uma sala relativamente espaçosa, e penso que me tenha levado para essa sala, pois não encontrei a cama ou qualquer outro objecto que se relacionasse com um quarto, bem eu, que me lembre não encontrei rigorosamente nada que se parecesse com nada, pois aquele espaço onde estava agora não tinha nada, ou melhor tinha algo no chão macio e confortável que se poderia chamar cama, mas andando para a frente, ela disse-me para esperar um pouco que a minha surpresa e não dizer nada, nem sequer falar, pura e simplesmente esperar por a surpresa e aproveita-la estava a chegar e eu como menino obediente que sou (!) obedeci e esperei, e lá estava eu encostado a parede a tentar perceber onde é que estava ou o que tinha acontecido àquele espaço vendado a tentar matar o tempo até chegar a surpresa.

De repente pressenti que alguém entrava naquela sala e que se aproximava de mim, o meu coração batia fortemente (tal como agora bate enquanto escrevo estas palavras), aproxima-se, sinto-lhe os passos firmes e decididos, não sabia quem era nem o que queria mas deixei-me estar, nervoso e inquieto o meu coração batia cada vez mais depressa nervoso e inquieto a minha garganta estava seca e eu cada vez mais me apercebia da excitação que se apoderava do meu corpo, por fim senti um corpo junto ao meu, não sabia de quem era, certeza tinha eu, da minha namorada não era de certeza se fosse ela eu sabia, quem era? Ainda hoje estou para descobrir, mas no meu íntimo prefiro assim não saber quem era é mais… sei lá, mais engraçado ficar neste suspense de olhar para as pessoas e imaginar quem era.

Mas voltando um pouco atrás, essa dita pessoa, aproximou-se de mim e tocou-me, eu estava de costas e nem sequer me mexi, entretanto senti a mão a tocar-me a acarinhar-me a correr a sua mão pelo meu corpo, e beija-me no pescoço, ou no pouco que estava na altura visível, desaperta-me a gravata, sempre por detrás de mim, não sei como é que consegui, mas assim foi, tirou-me a gravata e desapertou-me um pouco a camisa, agora já sinto a sua boca com mais vigor no meu pescoço, de seguida começa a despir-me vagarosamente com muito cuidado mas ao mesmo tempo com muito carinho, acho que posso dizer assim. Já estou em tronco nu, agora sinto a sua boca no meu corpo no meu peito, no meu pescoço, e por fim na minha boca (beijava muito bem acho que é importante referenciar isto, e eu enquanto escrevo isto e me lembro do acontecimentos continuo a ter o meu coração a bater de excitação a recordar aqueles momentos, até o meu pénis se pronuncia sobre essa excitação), ainda não me apercebi bem de quem era mas, tal como tinha prometido à minha namorada não disse nada, deixei-me ir aproveitando o momento que estava a ser muito agradável e excitante. De seguida desaperta-me as calças e por fim tira-mas, e lá estou eu, tenho que concordar que, se fosse noutra situação era um bocado constrangedor, e como eu ia dizendo, lá estou eu, neste momento quase nu, só com uma pequena cuequinha de fim dental, uma cueca gira, muito simples de cor escura, e bastante confortável, é um bocado constrangedor para um homem ser visto assim por alguém que não conhece, mas pronto, adiante. Agora sinto que se está a despir, foi rápido confesso nem dei pelo tempo passar, só sei que naqueles momentos de espera estava um pouco a tremer com a excitação, mas apercebi-me que já estava, diga-mos numa condição idêntica à minha (!). Agora sim, sinto o corpo desta minha surpresa, sinto por detrás de mim, a beijar-me as costas, é agradável, sinto o seu respirar, profundo e intenso, era um respirar seguro de si. Passa as mãos na minha anca e roça-se em mim, senti algo estranho, faltava-lhe qualquer coisa, ou tinha qualquer coisa que se calhar não deveria ter (bem se não tivesse ainda era mais estranho!), o que era, pois embora me tivesse tocado, se calhar a palavra mais correcta era roçado em mim muito rapidamente mas convictamente. Agora tira-me as cuecas, estou nu, completamente excitado a prova disso era o meu pénis que estava em pé parecendo uma arma apontada pronta a disparar.

Tomei uma decisão! Estava a “minha surpresa” a acariciar-me o pénis muito cuidadosamente, com as mãos e com a boca, sabia-me bem, mas eu não podia deixar avançar sem saber minimamente com quem estava, peguei-lhe não mão, a pessoa que estava comigo levantou-se, não disse uma única palavra, eu também não, nunca dissemos uma única palavra durante todo o tempo que estivemos e passamos, até se ir embora, levantou-se e agora fui eu que beijei e comecei a passar-lhe as mãos pelo corpo, também só tinhas as cuecas vestidas e também eram do tipo da minha, eram de “fio dental”, finalmente percebi com quem estava, com um homem, também ele muito excitado, fiquei um pouco abananado, respirei fundo, das duas uma ou continuo e deixo-me levar, ou viro as costas e vou-me embora… voltei a respirar fundo, beijei-o de forma intensa, e pensei para mim, que se lixe, se ela me deu esta surpresa lá terá as suas razões, e até agora estou a gostar, vamos em frente, e continuei a beijá-lo, agora SOU eu que lhe tiro as cuecas, também o seu pénis está rijo e firme como o meu.

Deitamo-nos no chão naquela espécie de cama que ali estava feita, sinto o seu corpo junto do meu, os nossos sexos tocam-se, deveras excitante, ele passa a língua PELO meu corpo, muito cuidadosamente, muito… não sei, sabia-me bem, detém-se junto do meu pénis começa a beijá-lo e por fim chupa-o como se fosse um gelado, sabia-me bem, era… não sei talvez por ser um ele e não uma ela, parecia-me diferente, finalmente venho-me, e tenho a primeira “explosão” de prazer visível da situação (desde que ele me tinha começado a tocar que eu estava a ter prazer), vai subindo, o meu sémen escorria-lhe pela boca e agora estava no meu corpo, volta a beijar-ME na boca, passando o pouco do restava do meu sémen para a minha boca, que eu engulo, fincando assim os dois com o mesmo sabor na boca. De repente reajo, agora sou eu que estou por cima e sou eu que beijo o corpo deste fulano, cheirava muito bem, não sei o que era mas cheirava muito bem, vou-me deslocando por seu corpo, brinco com os bicos do seu peito tal como ele me fez a mim, mordiscando-os muito cuidadosamente, depois deixo-me correr elo seu estômago ate chegar ao seu pénis (mais um dilema para mim chupo ou não chupo?) rocei nele com a minha face, um pouco peganhenta de algum sémen que tinha ficado perdido nela de um beijo anterior, senti o seu pénis na minha cara, rocei nele com ela era agradável, nunca tinha estado numa posição daquelas, começa a passar a língua por ele, muito calmamente, mordisco-lhe a cabeça do pénis, sabia-me bem fazer aquilo e depois enchi o peito de ar e comecei a chupar-lhe o pénis entrevalando com umas lambidelas e umas mordiscadelas, sentia que ele estava a gostar, à coisas que um homem não pode disfarçar, até que por fim agarrei-me ao pénis e usando a cabeça e a boca ia friccionando o seu pénis de forma ritmada e calma, até que por fim ele veio-se na minha boca, senti pela primeira vez na minha vida o que é uma pessoa vir-se na nossa boca, senti o gosto quente (e até relativamente saboroso) do seu sémen deixei que ele corresse pelo canto da minha boca e pelo seu corpo e ia subindo até a sua boca, onde (um pouco por vingança também) lhe depositei o pouco que restava do seu sémen; agora estou eu por cima dele sito as suas mãos percorrerem as minhas costas até ao meu cu, era agradável, mas sabia-me muito bem sentir os nossos corpos já sujos e suados tocarem-se, viro-o de costas, para o deixar recuperar desta primeira aventura, beijo-lhe as costas, passo-lhe a língua por ela até chegar ao seu rabo, também cheirava bem, beije-lhe o rabo e com a minha língua procurei o buraco do seu rabo, passei com a língua por ele, senti-o gemer de prazer tentei enfiar a língua do buraco (um pouco difícil, mas consegui), continuei a faze-lo até os meus maxilares ressentirem-se, então já sabia estava na hora, subi, agora estava deitado sobre as costas dele, e possui-o, penetrei com o meu pénis no interior do seu corpo estava dentro dele, assim estivemos até eu me vir.

Caí para o lado, estava ofegante e embora não tivesse já aquilo a que nós chamamos de tesão continuava a sentir-me excitado, o que iria acontecer agora?

Ele, volta a beijar-ME de forma intensa na boca, faz-me rebolar, agora sou eu que tenho as costas à sua disposição, sinto o seu corpo em cima do meu, era agradável, ele beija-me o pescoço, as costas, as pernas (não me tinha lembrado de lhe beijar-lhe as pernas), detém-se no meu rabo, mordisca-mo, era como se me fizesse cócegas com os dentes, mas ao mesmo tempo não eram cócegas, era agradável, agora é ele que me põe a língua no buraco no meu cu, é agradável, sabia-me bem sentir a língua dele, assim húmida a passar por aquele sítio, estava a dar-me muito prazer, eu já estremecia, e embora estivesse cansado o meu corpo começava a dar sinais de excitação. Ele desloca-se sobre o meu corpo, sinto o seu pénis a passar pelas minhas costas, a tocar no meu rabo, sinto o pénis dele a “acariciar” o meu rabo, de repente sou penetrado, sinto o seu pénis dentro de mim, eis algo de diferente que eu nunca tinha experimentado (embora confesso tivesse curiosidade em saber e sentir o que era a penetração), e ali estou eu, com ele por cima de mim, com uma parte do seu corpo dentro de mim, transpiramos, a noite estava quente, e ele continuava, eu sentia o seu pénis dentro de mim como que a entrar e a sair mas sem nunca sair, ele vêm-se, sinto o seu sémen a entrar dentro de mim, sinto uma coisa quente que corre pelo meu interior, uma sensação estranha, mas agradável, ele pára, está deitado em cima de mim, dentro de mim, assim quietos sem nunca termos dito uma palavra um ao outro, a única coisa que se poderia ter assemelhado a palavras foram os gemidos de prazer que tínhamos produzido, ele continua dentro de mim beijando-me carinhosamente o meu pescoço, tento virar a cara para o beijar, é um pouco difícil, mas lá consigo, ainda senti o sabor do meu sémen na sua boca, tal como ele deve ter sentido o sabor do dele na minha boca, as nossas línguas, mais uma vez tocam-se junto com os nossos lábios, era… agradável estarmos assim. Por fim ele sai de dentro de mim, eu estava muito excitado, o meu pénis voltava a estar teso tal como nos primeiros momentos que nos tocamos, sinto o seu sémen a escorrer, a sair de mim e a escorrer pelas minhas pernas, era uma sensação agradável. Estamos frente a frente, eu sem o ver, ele, não sei, provavelmente via-me, toca com a sua mão no meu pénis e acaricia-o com muito cuidado, eu faço o mesmo, beijamo-nos, a sua boca contra a minha, os seus lábios contra os meus, as nossas línguas dentro das nossas bocas friccionam-se, tocam-se, era um beijo muito quente, eu não resisto, quero mais, volto a passar a minha língua no seu rabo, naquele buraquinho que hoje ME parecia algo de muito especial, agora ao passar a língua pelo seu rabo sinto os restos do meu sémen que ficaram por ali, é uma sensação entranha, um sabor também ele muito estranho, mas muito agradável, volto a possuí-lo com todo o meu vigor, até que por fim venho-me, mas agora tiro o meu pénis para fora, venho-me para cima dele, sujei-o por completo e deito-me em cima dele, quero estar assim, e sentir o meu sémen ainda quente junto ao meu corpo, ou melhor entre os nossos corpos, viro-o voltamo-nos a beijar intensamente, agora é ele que me agarra, beija-me o peito, mordisca-me os bicos do meu peito, eu vibro, beija o meu pénis, retirando os restos de sémen que lá poderia estar, põe-me de joelhos e volta-me a possuir, desta vez sinto que me penetra mais fundo do que da primeira vez, vibro, e ele insiste com todo o seu vigor, sinto-o dentro de mim, vibro, ele vem-se, sinto o seu jacto de sémen dentro de mim, o meu coração bate velozmente, sinto que os nossos orgasmos estão em sintonia, tremo por todos os lados, ele continua dentro de mim, deixo-me escorregar para o chão com ele dentro de mim, apetece-me ficar assim, ele vai-me dando pequenos beijos no pescoço e nas costas, estava-me a saber bem, era diferente mas bom estar naquela posição, com ele dentro de mim, parecia algo de surreal, mas bom, tê-lo dentro de mim era uma sensação, sem explicação, confesso, mas muito boa.
Ele sai de cima de mim, levanta-me, estamos os dois frente a frente em pé, volto a sentir o seu sémen a escorrer para fora, era bom, os seus lábios voltam a tocar nos meus, põe a sua língua na minha boca, a minha língua toca a dele, beijamo-nos novamente, de forma intensa.
Ele afasta-se, percebo que está na hora de ele se ir embora, fiquei… não sei, talvez triste por aquela aventura estar a acabar, mas é a vida, tudo o que é bom também se acaba (!) ele volta a beijar-me, fiquei com o sentimento de que ele estava a dizer-me que tinha também ele gostado, mas que tinha sido só aquela aventura, nunca mais nos iríamos voltar a ver ou a tocar, pelo menos daquela forma, já que eu não sei quem ele era, beijou-me carinhosamente, vestiu-se, antes de se ir embora, voltou-me a beijar de forma quente e intensa, afastou-se, abriu a porta, fechou-a, ouvi abrir a porta da rua e a fechar-se, foi-se embora.

Sentei-me no chão, ainda estava com a venda que a minha namorada me tinha posto, não me apetecia tirar, sinto outra presença naquele espaço, era ela, teria voltado? Teria ela assistido a tudo? Sim, ela tinha assistido a tudo, estava nua, senti o seu peito transpirado junto de mim. Ela tinha assistido a tudo e sem nunca participar, masturbou-se os seus dedos cheiravam à sua vagina, aquele cheiro quente e saboroso, que é a sua vagina, beijei-a, não sei como mas ganhei forças, peguei nela, deitei-a no chão, passei com a minha língua pelo seu corpo, lambi a SUA vagina, queria voltar a ter o seu sabor na minha boca, misturando-se agora com o sabor a sémen que tinha dele, possuí-a vigorosamente, ela gritava de prazer à medida que ia atingido o orgasmo, viemo-nos ao mesmo tempo, eu deixo-me estar deitado em cima dela. Por fim lá a muito custo deixo-me cair para o lado, finalmente ela tiram-me a venda, a sala onde tinha estado, não tinha nada, tinha sido tudo retirado, era espaçosa, sentia-me muito bem, fomos os dois tomar banho, é ela que me lava, estou demasiado cansado para me lavar, e ao mesmo tempo, parece que quer ficar com a sensação de toda aquela aventura dentro de mim.
Deixei-me estar, soube-me aquele banho, mas na minha cabeça já havia planos de vingança, ela tinha que me pagar aquela surpresa, mas isso fica para outro dia!

sussurros nocturnos

Para ser ouvido com auscultadores bem coladinhos aos ouvidos:

Sábado à noite, beira-mar, lua em quarto crescente.
Nós dentro do carro.
Eu sorrio, tu viras-te para mim e sussurras ao meu ouvido:
video

Sorrio, viras-te para mim e sussurras-me ao ouvido o que estou à espera de ouvir:
video

E depois, depois cedemos às nossas provocações…

carpe vitam! + QJ

quinta-feira, 20 de setembro de 2007

Atracção Sexual

Apeteceu-me trazer-vos aqui uma selecção dos momentos mais eróticos que eu já vi passados entre dois homens no cimema.
A quem ainda não viu estes filmes, aconselho vivamente a que o façam.
Por ordem cronológica, aqui vai:
Não é propriamente um filme erótico, mas só esta cena bate aos pontos muitos filmes pseudo-erótico-porno que por aí andam. É um filme muito forte, baseado numa história verídica, vale mesmo a pena ver. Infelizmente, não existe à venda nem para aluguer por cá...

James Spader... excelente. A cena em que a personagem dele está a fazer amor com a personagem da Deborah Unger e ela lhe pergunta (entre outras coisas igualmente interessantes) se ele gostava de provar o esperma de outro homem... Viram "A Secretária"? Mais outro a não perder!

video
Heath Ledger, além de podre de bom, é um actor do caraças. Casou com a actriz que faz de mulher dele neste filme, sabiam? O Jake também não é mau, dentro de um estilo completamente diferente.

Peço desculpa pela parca qualidade de imagem, mas isto não substitui de modo algum o visionamento integral das obras, serve apenas de teaser.

Não me digam que estas cenas não vos dão tesão!...
Sejam mulheres com homens, mulheres com mulheres ou homens com homens, desde que consigam fazer passar a química sexual, que diferença faz de que sexo são?
Quero saber o que sentem ao ver estas imagens. Querem partilhar isso? Conseguem sentir o desejo das personagens? Aceleram-vos o ritmo cardíaco? Ficam de pau feito os meninos? Molham as cuecas as meninas?

Sugestão: partilhem aqui as vossas cenas provocantes preferidas do cinema.


As amantes

Numa noite de verão, num quarto dum 5º andar as duas amantes encontraram-se.
Estavam frente a frente, a olharem uma para a outra, beijaram-se como se fosse a primeira vez que se beijavam.

Abraçaram-se ternuramente como outros tantos amantes fazem.

Tocaram-se, com calma, com carinho, com o toque exacto que só uma mulher sabe ter.

As línguas tocam-se nos beijos ardentes e repetitivos, a excitação entre elas aumenta, continuando-se a beijarem.

A roupa, de forma natural começa a ser despida, encontrando já só em cuecas e soutien. Corre uma brisa fresca da janela aberta do 5º andar pois a noite está quente, e os seus corpos excitados quentes estão.

Trocam carícias entre elas, beijam os seios de ambas, uma está deitada na cama, a outra por cima, beija-lhe o peito, fazendo a sua amante submissa estremecer de prazer.

Corre pelo abdómen, beijando-lhe as virilhas e por fim corre a língua pelo seu buraquinho, que muito quente e excitado estava.

Um vibrador aparece, a amante submissa surpresa diz, quero-o senti-lo dentro de mim, fode-me!

E a outra amante assim o faz, com o seu vibrador penetra-o na sua amante, e esta estremece de prazer.

A noite é de verão, está quente, vão para a janela, a amante submissa aprecia o ar da noite naquele andar, a sua amante, louca desejo continua a acaricia-la, a beijar, a foder!

Daquela janela do 5º andar ambas as amantes tiveram a sua noite de prazer, ambas se vieram, ambas sentiram o prazer do orgasmo.

Voltam para a cama, beijam ternuramente abraçam-se, assim ficam, e adormecem, nuas, excitadas, molhadas, elas são amantes, elas assim o decidiram ser.
Provoca-me
Imagem: Lovers, by lucretious

quarta-feira, 19 de setembro de 2007

Sessão Fotográfica - 1ª parte

Estava eu num sábado de manhã sem nada para fazer, quando tive uma ideia.
Hoje partilho um pouco dessa ideia contigo...
... para saborear ao som de Breathless, dos Corrs:

Go on, go on, come on leave me breathless
Tempt me, tease me until I can't deny this
loving feeling, make me long for your kiss
Go on, go on
Yeah, come on...


Amante

Senti a tua boca na minha
Os teus lábios junto dos meus
Senti a tua boca correr o meu pescoço
Senti a tua língua
Beijaste-me no peito
Senti a tua língua a contornar o meu mamilo
A mordisca-lo
Tremi,
Gemi,
Sabe bem, assim com cuidado,
Sinto a tua língua correr pela barriga
Tocas-me nas virilhas com a língua
Beijas-me o sexo
Sinto uma mistura de língua, boca e lábios no meu sexo
Sabe bem,
Sabe muuuuiiiiinnnnnnttttttooooo bem
Sinto o orgasmo a aproximar-se
Tu continuas,
Também te apercebes que o orgasmo se aproxima
Venho-me
Que orgasmo tão estimulante
Que orgasmo orgasmico!
Agora sou eu que te toco,
Te beijo a boca com calma
Com carinho
Sentes a minha boca junto da tua?
Sentes o calor do nosso beijo
A excitação do nosso beijo
Revelou-se no teu corpo
Continuo a beijar-te
Sentes a minha língua no teu peito?
Os meus lábios a apertarem-te o mamilo?
Toco-te com a ponta dos dedos
Delicadamente correndo pelo teu corpo
Estremeces
Toco com a minha boca no teu sexo
Novamente estremeces
E eu continuo…
Sinto o teu corpo a estremecer com prazer
Oiço os teus gemidos
Sinto que ele está próximo
Vens-te, sinto o teu prazer
Belo orgasmo o teu

E de dois passamos a três
E nós os dois juntos
O mesmo prazer damos a quem agora chegou
Ficou no meio de nós
Um amante?
Uma amante?
Não interessa muito qual é o sexo
Vamos somente chamar Amante
Ou será que um de nós é que Amante?
E não quem chegou
Nós os três juntos
Entregamo-nos de olhos fechados
Não há sexo
Mas há muito sexo
Os nossos corpos transpirados
Roçam-se uns nos outros
O prazer de um é o prazer de todos
Os orgasmos aparecem
A excitação aumenta
Um beijo
Uma carícia
Um toque
Uma…
Acabamos abraçados
Os três
Trocando carícias
Sentindo-nos seguros uns nos outros
O prazer prolonga-se

Toca-me e provoca-me

Saudades

Hoje queria ter-te comigo, reviver os nossos bons momentos. Lembras-te daquele dia em que dormiste em minha casa e disseste que tinha que ser mesmo só para dormir porque eu precisava descansar? Tão querido, estavas preocupado comigo. Apagámos as luzes e ficámos agarradinhos. Comecei a fazer-te mimos, a dar uns beijinhos. -"Porta-te bem!"-disseste. Como se eu me conseguisse controlar contigo quase nu ao meu lado!" Sabes o que me apetece fazer-te...? Começava com uns beijinhos no teu pescoço, ia descendo enquanto te beijava, lambia cada centímetro do teu corpo. Envolvia o teu sexo nos meus lábios, na minha língua e estimulava-te até te vires na minha boca. Depois dava-te um beijo para sentires o teu gosto em mim." Enquanto te dizia estas palavras, as tuas mãos entravam dentro da minha roupa interior, exploravam o meu corpo. Começas a descrever o que me farias. Estamos os dois excitados, tu já te perdes nas palavras... Acabámos entrelaçados um no outro, os corpos colados, tu dentro de mim...! Tenho saudades tuas lindinho... saudades do teu beijo, do teu abraço, do teu cheiro, do teu corpo no meu, das nossas conversas até às quinhentas. Fazes-me falta...!

terça-feira, 18 de setembro de 2007

Luxúria

Procurei-te
E encontrei-te, estavas na cama,
Mas não estavas só,
E numa só vez,
Puxaram-me para perto de vós
Fiquei no meio, beijei-vos na boca,
Primeiro à esquerda, depois à direita,
Ou foi ao contrário?
Foram tantos os beijos que já não tenho certeza qual foi o primeiro
Não interessa!
Gosto de estar no meio, sentir o vosso calor,
Sentir o vosso corpo a roçar-se no meu
À procura de prazer
Do toque
Da minha boca
Da vossa boca
Do vosso sexo
Do meu sexo
Fazemos uma orgia,
O prazer é mais que muito
Agora estás tu no meio,
Depois, estás tu no meio
Cada um de nós, a seu tempo no meio
No meio, nem sempre está a virtude,
Mas está, definitivamente, uma entrega ao prazer
À luxúria!
Sinto que o meu orgasmo se aproxima
A vós vos entrego o meu orgasmo
É vosso, pois foi de vocês
E por causa de vocês que ele aqui está.
Também quero o vosso orgasmo
Quero sentir os vossos gemidos
Quero os vossos orgasmos
QUERO-VOS!

Olho

Olho,
E tudo vejo,
Mas nada sinto,

Esperava poder sentir algo,
Mas estou aqui, no meu canto sozinho

Espero que Vocês apareçam,
Que venham ter comigo e me beijem,
Me acarinhem

Arranquem-me desta inútil solidão
Para os Vossos braços

Quero sentir os Vossos corpos
Os Vosso sexos,
Quero beijar os Vossos corpos
Quero ter os Vossos sexos na minha boca

Quero sentir os Vossos orgasmos junto de mim
Quero que Vocês se beijem
Se comam à minha frente

Que ser comido por Vós!
Quero ter orgasmos em Vós!

Beijo-vos,
Toco-vos,

Já não estou só,
Estou convosco,

Sinto o vosso calor junto de mim

O Vosso desejo,
O Vosso prazer.
O Vosso corpo

O Vosso calor
O Vosso carinho

Olho,
Tudo vejo,
Tudo sinto.

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

Apetece-me...

Um duche bem quente, a água a deslizar na nossa pele... Passo-te o gel de banho pelas costas, desço às tuas nádegas, o meu peito a tocar as tuas costas... A minha mão alcança o teu sexo, vou-te tocando suavemente.
Viras-te para mim e lambes os meus seios, ajoelhas-te e metes a língua no meu sexo molhado numa mistura de água com o sabor da minha excitação. Continua... Leva-me ao êxtase... A água continua a correr, o prazer aumenta até ao limite...
Agora deixa que eu cuide de ti... Serei eu a provocar, a dar-te prazer...!

Provocação: contra a indiferença

Quero comprometer-me contigo. O meu compromisso é fazer-te sentir. Como? Isso vais dizer-me tu. Quanto melhor te conhecer, melhor saberei como te tocar. Quero entusiasmar-te, excitar-te, estimular-te. Quero que me faças o mesmo. Sou capaz? És capaz? Para o saber, não podes ficar aí a ler-me sem fazer nada. Manifesta-te! Escreve o que pensas! Mal ou bem, mas fá-lo! Mexe-te!!! Provoca-me!!!

sábado, 15 de setembro de 2007

Uma Noite Gelada
















Hoje és meu, és o meu Deus para adorar e dar prazer!

Deito-te sobre a cama e vendo-te os olhos. Não imaginas o que irei fazer…A expectativa excita-te! Sentes os meus lábios gelados sobre o teu sexo mas não percebes a razão desse frio. Dou-te um beijo e reconheces o sabor a gelado de morango na minha boca. Pego num pouco de gelado no meu dedo e percorro os teus lábios. Chupas o dedo sôfrego de desejo! Queres-me tocar mas eu não deixo. Hoje sou eu quem dita as regras do jogo.

Percorro o teu peito, vou pondo bocadinhos de gelado nos pontos mais sensíveis para depois os lamber com a minha língua quente. Ah esses mamilos…sabe bem não sabe!? Adoro morder-tos! Volto a descer para o teu ventre, exploro o teu umbigo, as virilhas e, quando menos esperas, meto o teu sexo na minha boca como se to quisesse devorar.

Oiço os teus gemidos de prazer. Sinto-me excitada por sentir que estás nas minhas mãos, à mercê dos meus caprichos.

Faço-te entrar em mim muito lentamente. Dou-te o que queres e volto a tirar para depois te dar novamente. Estás a enlouquecer… Eu também!

Vou aumentando o ritmo da minha investida e quando te sinto perto do orgasmo paro. Estás dentro de mim! Sussurro ao teu ouvido que gosto de te sentir. Tentas responder mas a voz falha-te.

Tentas tocar nos meus seios mas imediatamente eu entrelaço as minhas mãos nas tuas e as seguro ao lado da tua cabeça. Volto a mexer o meu corpo sobre o teu enquanto te beijo.

Pressinto o teu êxtase, largo as tuas mãos e deixo-te gozar o teu orgasmo abraçado a mim. O teu prazer é o meu prazer. Deixa que eu te provoque novamente…!


O Início da Quimera...

Sou a Quimera que ganha forma nas palavras! Quimera porque a satisfação é uma utopia, porque sinto que não há limites para o prazer. Quimera, ainda, porque quero ser parte da tua fantasia!

Conheço os teus pecados porque os teus pecados são os mesmos que os meus. Luxúria... Um pecado capital segundo a tradição judaico-cristã. Mas como eu gosto do sabor a pecado que o sexo tem!!! Não consigo resistir à tentação…
Preciso por momentos ignorar o socialmente correcto, deixar de parte a hipocrisia e os jogos de aparências tantas vezes necessários. Preciso dar asas à imaginação e corpo às fantasias. Quero partilhar os meus desejos mais íntimos, quero, também, conhecer os teus. Usa e abusa da tua imaginação porque a imaginação è a maior aliada do erotismo. Contagia-me com o teu desejo, faz-me experimentar novas sensações. Provoca-me…!

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

Quero...

Passei a correr por aqui,
E vi esses lábios,
E essa língua,
O meu desejo aumentou,
O meu tesão aumentou,
Quero beijar essa boca,
Quero sentir a tua boca no meu corpo
Quero ter um orgasmo na tua boca

Quero…

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Um beijo provocante

Provoco-te com um beijo,
Provoco-te com o meu toque,
Provoco-te com um sopro no teu pescoço,
Provoco-te com as minhas palavras.

Dou-te como provocação o meu corpo,
Dou-te a minha alma, com a chama acesa,
Quero ver-te em total excitação
Provoco-te para te excitar,
Sentes o calor da provocação?

Sente os meus lábios nos teus,
Sente o meu corpo junto do teu,
Sente a minha excitação
Sente o meu calor,

Pego na tua mão, e entrego-a à minha provocação
Tu aceitas e tocas na minha provocação.

Provoco-te…

terça-feira, 11 de setembro de 2007

Provocações aceitam-se

Acedo ao convite com todo o prazer, deixando aqui a minha primeira.
Quero fazê-lo bem, com calma, quero tocar-te. Vou ceder às tuas provocações, vou fazer também as minhas. Bem sabes como gosto de provocar…
Mas é preciso ter cuidado com o que se provoca e como se provoca. É preciso saber ser responsável e assumir as consequências. Ficar pela provocação não chega. Quero levar a provocação até ao fim, até às últimas consequências. Quero conhecer-te melhor, quero conhecer-me melhor.
Sabes que basta uma chama, uma pequena faísca para me estimular. Fico à espera da tua faísca, essa pequena provocação que me surpreende e deleita. Fico ansiosamente à espera do que vem a seguir…

Masturbo-me

Apetece-me masturbar,

Enquanto o faço penso em ti, no teu corpo, na tua boca, nas tuas mãos, na forma como me tocas, na forma como sinto o teu toque, o teu calor o teu tesão

Imagino que é a tua mão que me toca, que me masturba, hummm sabe bem, tens um toque especial.

A tua boca quente, salivante, sinto a tua língua, sabe bem…

Sinto o teu corpo a roçar no meu, continua por favor, estou a arder, estou em fogo, quero mais, quero sentir o teu toque em mim, não te afastes, não fujas, volta.

Isso, volta, toca-me, beija-me, PROVOCA-ME, quero ter um orgasmo, quero que o sintas nas tuas mãos que tenho um orgasmo, sim, continua, toca-me, tens uma mão firme, tens uns dedos excitantes, quero lamber os teus dedos.

Quero-te!

Continua, o teu toque faz-me bem, sinto-me bem, sinto que o orgasmo está próximo, está quase, quase, quase, mais um pouco, isso, mais um pouco, já sinto na minha cara que está ao rubro, o resultado do teu toque, venho-me pela tua mão.
Beijo-te a mão.

Sonho de uma noite de Verão

Sonhei contigo.

Sonhei que estavas ao meu lado.

Que dos teus lábios, doces e quentes, brotavam palavras quentes e doces.

Arrepiaste-me com as tuas palavras. Excitei-me, excitaste-te! Deliramos ao sabor das palavras, quero-te, desejo-te, beija-me, toco-te, toca-me, acariciamo-nos, amamo-nos.

Palavras quentes em noite quente.

Excitação de meras palavras, num sonho de uma noite de Verão.

Com um beijo acordaste-me, e afinal aquilo que parecia um sonho era verdade, a tua boca, as tuas palavras, as tuas exclamações excitadas, o teu beijo, quente.

Tudo lá estava, e eu esperei, e os teus lábios tocaram nos meus, dando lugar a uma só palavra a uma só frase:

Provoca-me!

segunda-feira, 10 de setembro de 2007

Nasci

Hoje nasci!

Hoje começo!

Quero-te, quero-te junto de mim, junto do meu corpo, sentir a tua boca junto da minha, a tua pele a roçar-se na minha, a tua boca no meu corpo, a minha boca no teu corpo.

A tua boca desce até ao meu sexo, a minha boca desce até ao teu sexo.

Temos orgasmos, as nossas bocas sentem-no

As nossas bocas beijam-se

Aquece-me

Aperta-me

Dá-me prazer

Dou-te prazer.

Dá-me aquilo que tens entre as pernas e eu dou-te aquilo que tenho entre as pernas.

Penetração.

Mais penetração

Ele está a chegar.

Orgasmo!

Provoca-me